Tamanho do texto

As "Freiras da Mídia" ficaram conhecidas por usarem aplicativos como Snapchat e Instagram para mostrar o dia a dia dentro do convento

O nome oficial do ministério internacional destas freiras católicas dos Estados Unidos é “Filhas de São Paulo”, mas nas redes sociais elas se transformam nas #MediaNuns, ou Freiras da Mídia em português. Esse grupo de mulheres religiosas usam a tecnologia para publicar fotos na internet, e se você pensa que elas só falam sobre Deus em suas publicações, está muito enganado. 

Leia também: Desabafo de jovem no Instagram faz repensar sobre a busca por um corpo perfeito

As Freiras usam as redes para mostrar o dia a dia do convento
Reprodução/Instagram/srbethanyfsp
As Freiras usam as redes para mostrar o dia a dia do convento


A Irmã Chelsea Bethany, de 26 anos, é uma das  feiras da missão que é famosa no Snapchat e, vendo a história da Irmã na rede, você se depara com o cotidiano de um convento, como o que as freiras comem, por exemplo. E, talvez, se surpreenda ao ver que no cardápio estão comidas como doces, pizza e batata frita.

Além do Snapchat, as Filhas de São Paulo também atualizam a página da missão no Facebook e no Instagram com suas atividades. Ao site Mashable, a Irmã conta que quer que suas histórias simples sejam "um lugar de encorajamento" e que o Snapchat poderia ser uma ótima maneira de mostrar às pessoas o dia a dia da vida religiosa.  


Irmã Theresa Aletheia, de 36 anos, confessa que não se interessava por tecnologia antes de entrar para o convento e se sentiu “ridícula” quando começou a fazer snaps, mas lembrou do ensinamento do fundador da missão, o padre James Alberione: “Não fale só de religião, mas fale sobre tudo de um modo cristão”.  

Leia também: 9 perfis no Instagram para seguir já e perder o medo de assumir a idade

Hoje, ela confesa que está deixando de estudar para seu mestrado para usar a rede. "Deus deve estar rindo, porque agora eu sou membro das Filhas de São Paulo", diz.

Hanging out with Papa Frankie today! #PaulineAwesome #PapalSelfie #PBMChicago #MediaNuns #PrayForVocations

Uma publicação compartilhada por Sr. Bethany (@srbethanyfsp) em


Bethany e Aletheia acreditam que se a rede social existisse nos tempos de Jesus, alguns dos discípulos estariam utilizando da mesma forma que ela, entre eles, São Paulo, que viajou ao redor do Mediterrâneo para espalhar o Evangelho. “São Paulo definitivamente estaria usando os meios mais modernos disponíveis para alcançar a maioria das pessoas com a mensagem do Evangelho.”

Reações do público

Como as pessoas reagem às “Freiras da mídia”? Irmã Aletheia diz que algumas reações são  muito negativas, mas é que isso é algo que elas esperavam. "Nós representamos muito mais do que nós mesmas e isso pode tocar em algo muito profundo em uma pessoa, algo que ele ou ela nem sequer consegue perceber.”

Ela conta que outros respondem à atividade online das freiras com "surpresa", compartilham momentos íntimos de suas próprias vidas e pedem orações. Irmã Bethany diz que também costuma receber perguntas de mulheres jovens sobre a vida religiosa porque sabem que ela está "do outro lado da tela".

Leia também: Blogueira anã mostra que a moda é feita para todos os tamanhos

Segundo as freiras, os adolescentes e jovens são bombardeados diariamente com tanta negatividade e suas postagens são formas de lembrá-los que são amadas no meio do caos. "Quando eu vejo o snap com muitas capturas de tela, eu sei que atingi os corações", finaliza Irmã Bethany.

    Leia tudo sobre: instagram
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas