Tamanho do texto

Além de não poder ir na formatura, estudante grávida foi retirada do cargo de presidente do Conselho de Estudantes e foi suspensa por dois dias

Apesar de ter notas excelentes, ter sido presidente do Conselho de Estudantes e ter jogado na equipe de futebol da escola, a estudante do último ano do ensino médio Maddi Runkles não poderá participar da cerimônia de formatura junto com seus colegas. O motivo pode espantar. Ela é proibida de ir à comemoração por estar grávida. As informações são do jornal "The New York Times”.

Leia também: Saiba o que é mito e o que é verdade sobre fazer sexo na gravidez

Aluna grávida está proibida de ir em cerimônia de formatura
Reprodução/The New York Times
Aluna grávida está proibida de ir em cerimônia de formatura

Maddi Runkles estuda no Heritage Academy, um pequeno colégio cristão de Maryland, nos Estados Unidos, em que os alunos recebem aulas diárias sobre a Bíblia. Além de não poder ir para a formatura por estar grávida , ela foi suspensa por dois dias e retirada do cargo de presidente do Conselho de Estudantes.

Em uma declaração escrita emitida em nome do conselho de administração da escola, David Hobbs, administrador da escola, disse que a estudante receberá seu diploma e chamou sua gravidez de "uma questão interna sobre a qual terão muitas orações e discussões".

A estudante sabia que teria de enfrentar a punição por ter quebrado o código da escola sobre ter relações sexuais antes do casamento. Ainda assim, ela decidiu contar logo sobre a gravidez para os colegas. "Contei sobre mim", disse Maddi. " Pedi perdão. Pedi ajuda.”

Leia também: Jovem posta foto com uma espada para denunciar racismo em universidade

Muitos alunos a agradeceram, mas a situação da garota não foi confortável. Ela disse que sentia que estava sendo tratada com mais dureza do que os alunos que foram suspensos por consumir bebidas alcoólicas mesmo sendo menores de idade.

Planos para o futuro

Maddi está tentando começar um novo capítulo de sua vida com a ajuda de uma organização que trabalha com igrejas para ajudar mulheres grávidas. Apesar de muitos em sua escola estarem dando apoio, ela fala que ainda às vezes se sente deslocada.

"Algumas pessoas pró-vida são contra o assassinato de bebês que não nasceram, mas eles não vão apoiar a garota grávida que escolheu manter o seu bebê", disse ela. "Honestamente, isso me faz sentir como se o aborto tivesse sido melhor. Então, eles simplesmente me perdoariam, ao invés de lidar com essa consequência visível ".

Leia também: Estudantes criam canudo "anti-estupro" que detecta drogas em bebidas

Ela usa uma jaqueta sobre o uniforme da escola para cobrir a barriga de grávida, para fazer com que outros não se sintam desconfortáveis. Seus pais estão planejando uma própria cerimônia de graduação para ela no dia 3 de junho, um dia após o evento da Heritage Academy.

    Leia tudo sobre: gravidez
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.