Tamanho do texto

Rachel Rickert trabalhou três horas seguidas sem poder parar para trocar o absorvente e, por conta disso, acabou com a meia-calça e vestido manchados

Uma modelo afirma que foi demitida de seu trabalho apenas por ter menstruado no meio do expediente. Rachel Rickert, de 27 anos, representava a montadora de automóveis Hyundai em uma feira de carros em Nova York quando foi afastada do posto.

Leia também: Estudante faz quadros com sangue menstrual e gera polêmica

Além de ter sido demitida, modelo também não ganhou pelas horas trabalhadas em feira de automóveis
Twitter/Reprodução
Além de ter sido demitida, modelo também não ganhou pelas horas trabalhadas em feira de automóveis

Rachel conta que ficou três horas recepcionando convidados da feira "Auto Show Internacional de Nova York" antes que pudesse parar para ir ao banheiro e trocar seu absorvente. Entretanto, como ela não podia parar antes disso, a menstruação acabou vazando e manchando sua meia-calça e vestido com sangue. A modelo pediu, então, uma troca de roupas para que pudesse voltar ao trabalho, mas foi mandada para casa para que pudesse resolver seus “problemas com a menstruação”.

Leia também: É verdade que as mulheres que vivem juntas conseguem sincronizar a menstruação?

“Eu não vou deixar que alguém me diga que não posso estar menstruada enquanto trabalho. É inaceitável”, afirmou a jovem em entrevista ao site “New York Post”. Além de ser mandada para casa antes que a feira acabasse, dias depois Rachel ainda escutou da própria agente, Erika Seifred, que foi demitida porque a Hyundai não queria que ela representasse mais a empresa em eventos.

Denúncia

A americana abriu uma queixa contra a Hyundai e a agência de modelos para qual estava trabalhando na Comissão de Oportunidades Iguais de Emprego dos Estados Unidos. “Nós não somos robôs. Precisamos usar o banheiro, especialmente quando estamos no nosso período menstrual ”, disse Rachel. "Eles apenas agem como se não fôssemos humanos. Eu não vou me envergonhar ou não vão me fazer sentir mal por ter o meu período."

Leia também: Estudantes criam canudo "anti-estupro" que detecta drogas em bebidas

Para piorar a situação, a modelo esperava ganhar ao menos US$ 5 mil pelo evento, mas não chegou a receber nem mesmo pelas horas que trabalhou até ser afastada. A agência de modelos preferiu não comentar o caso, já a Hyundai afirmou que foi informada da queixa e que vai investigar o caso. "Levamos a sério qualquer queixa como essa e vamos responder adequadamente assim que conseguirmos investigar os méritos da alegação".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.