Tamanho do texto

Stella Dantas, de 27 anos, é casada, mãe de dois filhos e acaba de posar para seu primeiro nu artístico à la Marylin Monroe no projeto do fotógrafo Marco Rossi

Um ensaio fotográfico audacioso inspirado em Marilyn Moroe, uma das mulheres mais sensuais de todos os tempos, está mudando o jeito que muitas de nós se enxergam - e enxergam as outras mulheres também. 

Marilyn Monroe inspira projeto fotográfico com mulheres reais
Reprodução/Facebook
Marilyn Monroe inspira projeto fotográfico com mulheres reais

"Eu estou bonita, mas não sou bela. Tenho pecados, mas não sou o diabo. Eu sou boa, mas não um anjo". A célebre frase da diva de Hollywood tem motivado algumas modelos da vida real a posarem seminuas, cobertas apenas por um lençol ou toalha sobre uma cama de um quarto de hotel para as lentes do projeto "Marco Rossi - Tributo a Marilyn".

"Virei mulher"

A convite do Delas , Stella Dantas, de 27 anos, uma das retratadas no projeto, diz que "nunca tinha imaginado fazer fotos seminua, um nu artístico" e conta como a inciativa a fez mudar de ideia sobre isso, sobre seu corpo e muito mais.

Acompanhe a seguir o relato de Stella Dantas sobre seu primeiro ensaio nu:

Stella Dantas
Reprodução/Facebook
Stella Dantas

Nunca tinha imaginado, um dia, fazer fotos seminua, fazer um nu artístico, no caso. Tenho 27 anos, sou mãe de dois filhos - Murillo, de 8 anos, e Melissa, de 6. Quando vi a foto da minha amiga para o projeto, achei bonito o 'sexy sem ser vulgar'. Eram apenas curvas e pele. Então, o fotógrafo me marcou em uma publicação e começamos a conversar. Em pouco tempo topei, não precisei pensar muito. Afinal, eu já queria, qual mulher não quer ser fotografada como a sensual e diva Marilyn?

No dia, fui um pouco apreensiva, falei pro meu marido que faria umas fotos, mas não expliquei como eram. Chegando lá, suava de nervoso enquanto retocava a maquiagem, tirei a roupa, me enrolei na toalha e fui. As primeiras poses foram as mais complicadas. Não sabia sentar com medo que algo a mais aparecesse. Mas, depois, fui perdendo o nervosismo . Percebi que éramos todos adultos, que, se por algum momento alguma parte do meu corpo aparecesse, pra eles não seria grande novidade. Afinal, quem nunca viu uma mulher nua?

Nunca me achei 100% linda, engordei depois das gestações e nunca mais voltei ao meu corpo "normal" - que já não existiria mais pois fui mãe aos 18 anos, era uma menina e virei mulher"

Sou muito insegura com meu corpo, nunca me achei 100% linda, engordei depois das gestações e nunca mais voltei ao meu corpo "normal" - que já não existiria mais pois fui mãe aos 18 anos, era uma menina e virei mulher.

Dois filhos e a gravidade

Quanto ao nu, até me dou bem, mesmo sendo insegura. Entre amigas, conversando, troco de roupa tranquilamente. Mas, até hoje, não gosto que meu marido me veja nua em pé: são dois filhos e a gravidade. Estou longe de ser a capa de revista, a panicat...

Agora, entendo muito melhor que, quando a mulher se sente bem, bonita, isso se reflete no ser dela. Eu, que já fiz quinhentas mil dietas pra emagrecer, vi que posso ser tão bonita quanto a Juliana Paes ou Fernanda Lima. Não chego aos pés delas, claro, mas as acho lindas e naturais, nada de exagerado. Portanto, estou me achando superbonita, mesmo sendo uma reles mortal. Quando me sinto diva, me torno mesmo uma diva.

Stella Dantas
Reprodução/Facebook
Stella Dantas


Postei uma das fotos na minha rede social e acho que ela não mostra nada de mais. Mostra pele e curvas, mas foi um grande choque! Achei interessante porque muitas mulheres disseram que meu marido me mataria. Já vi fotos muito mais obscenas nas redes sociais.

No pensamento de muitos homens, mulher que se expõe assim é puta. Quer ser cobiçada, quer 'likes'. Mas, pra mim, foi pura arte mesmo"

Casada e sexy

Por ser casada, as pessoas acham errado eu me expor sexy. E, pra mim, não teve falta de respeito com meu marido. Nada está forçado, não tem transparências, partes íntimas expostas, maquiagem. Enfim, está natural. Muitos homens acham que mulher que se expõe assim é puta. Quer ser cobiçada, quer "likes". Mas, pra mim, foi pura arte mesmo. Eu acho o nu lindo. Realmente, me inspirei na Marilyn.

Mulheres reais

"Idealizei o projeto para transformar as fotos em telas a óleo para uma exposição itinerante internacional, começando por São Paulo", conta Marco Rossi, artista plástico retratista, que tem formação clássica de retrato ultrarealista, ao Delas. A parceria com o 155 Hotel São Paulo, que cedeu as suítes, com o estúdio da Opção GH Produções e Elenco e a Click Fotografia foi fundamental para concretizar a ideia.

"Marilyn foi símbolo de beleza, expontaneidade, liberdade da mulher e, em pleno século XXI, o projeto provocou reações adversas de pessoas paradas no tempo e opostas às conquistas femininas de liberdade. Algumas mulheres que seriam fotografadas desistiram por causa dos maridos e outras por causa de seus patrões", lamenta Marco.

O projeto provocou reações adversas (...) Algumas mulheres desistiram por causa dos maridos e outras por causa de seus patrões"

"O número de modelos é incerto. Quando lancei a ideia do projeto, as mulheres foram se apresentando espontaneamente e o número passou de 50. Um grande numero assim poderia atrapalhar o andamento pois um quadro a óleo realista demanda um certo tempo para ser pintado", explica ele, sobre as modelos de São Paulo, João Pessoa, Porto Seguro, Rio, dos Estado Unidos, e até da França.

Marco Rossi, fotógrafo retratista
Arquivo pessoal
Marco Rossi, fotógrafo retratista

A Marilyn dentro de você

"São altinhas, baixinhas, magrinhas e gordinhas, brancas, morenas, negras, de olhinhos puxados... duas grávidas e duas cadeirantes. O objetivo não é representar Marilyn: é tirar a Marilyn de dentro de si".

Equipe

Também participaram do projeto Wellyngton Lima de Sousa, responsável pelo vídeo, Neusa Ferreira, pela fotografia de making off, Elisangela Pessotti, pela maquiagem, e Cindy Mendes, pela assistência.