Tamanho do texto

Samera, de 21 anos, recebeu ofensas machistas e racistas nas redes sociais depois de exibir a série de obras "One Week Late"

Samera Paz, americana de 21 anos que estuda na Universidade de Artes da Filadélfia, criou uma série de pinturas chamada “One Week Late” – Uma Semana Atrasada, em tradução livre. As pinturas foram feitas com sangue menstrual, de acordo com Samera, para defender o corpo da mulher e tirar o estigma em torno da menstruação:

“Foi a minha maneira de normalizar a menstruação e tornar o sangue que seria descartado em algo que eu considero bonito”, disse, em suas redes sociais.

Um dos quadros de Samera, do projeto
Reprodução/Tumblr
Um dos quadros de Samera, do projeto "One Week Late", criado por ela




Ela compartilhou sua arte no Instagram:

Polêmica

A arte dividiu opiniões; nem todos conseguem ver beleza no trabalho dela e a garota enfrentou muitas críticas. Samera registrou grande parte das críticas que recebeu e colocou em um quadro branco. Ela diz que esse será um outro projeto.

Life is absolutely beautiful

A photo posted by Samera (@sameraflowers) on


As críticas eram de cunho machista e racista. Chamaram-na de “suja”, “nojenta” e até mesmo falaram que ela deveria morrer.

E você, o que acha da arte desta jovem americana? Vote na enquete abaixo:

Leia também:
#HappytoBleed: indianas criam campanha para incentivar orgulho da menstruação
Bolsa, roupas e acessórios estampadas com órgão sexual feminino; você usaria?

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.