Crianças adoram brincar
Reprodução: Alto Astral
Crianças adoram brincar


Criança tem que brincar, é verdade, mas se ela não quer parar para fazer mais nada, alguma coisa está errada. Brincar é bom e saudável, mas desde a infância tem que ter limites para tudo.

O limite é importante para que a criança perceba o mundo ao seu redor e aprenda a respeitar as regras impostas pelos pais. Esse comportamento pode ocorrer por vários motivos: após férias ou feriados prolongados, e quando a criança fica um longo tempo afastada de sua rotina habitual.

É também um típico comportamento de crianças que não estão acostumadas a ouvir a palavra não. O horário de estudo, por exemplo, determina todas as outras atividades do dia, como a hora de acordar, de lazer, de estudar, das refeições e assim por diante.

Levando isso em conta, estabelecer uma rotina para a criança é a melhor solução para que ela se adapte aos horários que devem ser cumpridos. Porém, quando essa rotina é quebrada, a criança começa a fazer somente o que ela gosta, forçando os limites estabelecidos.

É comum ver pais "lutando" para que seus filhos parem alguns instantes de brincar e que comam, bebam água, entre outras atividades, o que não deveria acontecer.

Você viu?

É normal na infância querer testar os seus limites, mas quando a criança só quer brincar e perde o interesse em qualquer outra atividade, como dormir, descansar, e comer, os pais devem intervir fortemente.

Converse com seu filho, perceba se na rotina criada existem atividades que desagradam a criança, como um treino de futebol, ou um horário de leitura de histórias que não se adequam ao relógio biológico que a criança tem.

Procure entender o que desinteresse seu filho de tal maneira que ele desista de cumprir todo o resto. Se essa rotina não desperta interesse, tente muda-la. Se ele gosta do horário de ir ao parque, coloque no final do dia, após cumprir as demais metas, e assim sucessivamente.

Lembre-se que não é o seu filho que determina o que é melhor para ele. Quem determina é você. Portanto não deixe seu filho simplesmente excluir atividades que ele gosta menos e substitua esses horários. Se ele realmente não gosta de uma atividade você deve ajuda-lo a encontrar outra que seja igualmente boa e que ao mesmo tempo dê a ele prazer.

Se a criança não respeita os limites estabelecidos e decide por ela mesma executar somente as tarefas que lhe agradam, a culpa não é dela, mas sim dos pais, que não conseguem estabelecer os limites tão necessários na infância.

Uma criança sem limites na infância será um adulto que não saberá reconhecer esse limites. E esta criança sofrerá, porque mesmo não reconhecendo, os limites existem.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários