Tamanho do texto

Iris Grace foi diagnosticada com alto grau de autismo e passou se comunicar mais depois da chegada do animal de estimação

Iris Grace e sua gata
Cortesia Arabella Carter-Johnson
Iris Grace e sua gata


O prognóstico que a britânica Arabella Carter-Johnson recebeu dos médicos de sua filha não era otimista. Iris Grace, hoje com seis anos, foi diagnosticada com um grau elevado de autismo.

"Eles disseram que ela talvez nunca falasse nem conseguisse se relacionar", conta Arabella.

Isso porque a garotinha havia passado muito tempo, pelo menos metade de sua vida, fechada em seu próprio mundo.

Mas tudo mudou com a chegada de Thula, uma gata da raça Maine Coon, conhecida por ser grande e calma. "Ela passou a se comunicar conosco para dizer o que queria. E isso começou com a Thula: Iris Grace dizia 'mais, gata', 'senta, gata'; dava instruções a ela", afirma a mãe.

Arabella relata que, desde então, passou a ver o autismo de uma outra forma. "Pode ser desafiador, bastante desafiador às vezes. Mas sinto que, se você estimular a criança, trabalhar com as coisas que interessam a ela, verá um progresso, verá mudanças."

Clique aqui e assista ao vídeo

Pequena Iris passou se comunicar melhor depois da chegada do animal de estimação
Cortesia Arabella Carter-Johnson
Pequena Iris passou se comunicar melhor depois da chegada do animal de estimação


Leia também:

Ex-refugiada ganha prêmio de US$ 1 milhão como melhor professora do mundo

Pesquisa sugere elo entre chocolate e melhor desempenho do cérebro

Incisão pioneira com células-tronco regenera olhos de crianças com catarata

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.