Ana é casada com João, mas também namora Pedro. João, por sua vez, se relaciona com Mariana. E para Ana e João, está tudo bem, afinal, eles vivem um relacionamento aberto. 

casal
Reprodução
Abrir o relacionamento pode parecer difícil, mas é possível com conversa e negociação


Os nomes citados acima são fictícios, mas poderiam ser nossos amigos ou refletir a vontade de muita gente por aí. Ana ama João, mas quis outras experiências. E ele topou. O sentimento não acabou, apenas a configuração da relação. 

Abrir a relacionamento pode ser difícil, mas é possivel, desde que seja uma escolha de ambos, como defende o psicólogo especialista em sexualidade Oswaldo Rodrigues, e tudo começa com a boa e velha conversa.

Como ele ressalta, cada um tem regras e valores morais individuais e isso deve ser respeitado. "Se a pessoa for mais aberta a uma negociação, vale conversar. A melhor forma será de comunicação direta , sem ruídos, sem dar voltas, sem pretender fazer uma coisa ou obrigar a outra a fazer", diz Oswaldo.

Leia também: Você está pronto para viver um relacionamento aberto? Veja depoimentos

Com isso, há o risco de já ouvir um não logo de cara, mas, se houver um acordo, há um "compromisso promovido pelo casal que facilita a manutenção do relacionamento".

Passo a passo para ter um relacionamento aberto

Se ambos estiverem de acordo, pode continuar lendo a reportagem - caso contrário, vale também apostar em uma conversa para entender o que está acontecendo com seu relacionamento e se quer continuar assim ou não  - o psicólogo dá dicas para que esta abertura seja feita de forma saudável e sem dúvidas. Além de anunciar diretamente, sem rodeios, a negociação entre as partes deve estabelecer regras.

trisal
shutterstock
O psicólogo indica entender os limites de cada um e ver se abrir realmente vale a pena


"Existem casais que propõem a regra de não deixarem outros relacionamentos afetivos serem apenas sexuais. Uma mulher pode impor que o marido nunca transe sozinho com outra mulher, aceitando que se transar com um homem, estará cumprindo o acordo a dois", afirma o psicólogo. É preciso encontrar o que dê certo para você e seu parceiro. 

Leia também: Confira 3 dicas para se aventurar no poliamor ou em um relacionamento aberto

Depois de ter feito todos acordos necessários, é hora de praticar. Oswaldo aponta que é necessário experimentar , ver como é a sensação com possíveis aproximações, locais e pessoas. "É muito comum neste momento fazer a contratação de profissionais, como acompanhantes homens e mulheres, para sexo em locais que não envolvam o cotidiano do casal", comenta o psicólogo.

Ele ainda afirma que, depois da fase de experimentação, o casal deve estabelecer as regras de prosseguimento que serão mantidas até o momento que as partes sintam-se na necessidade de fazer uma renegociação. E não há mal nenhum nisso. 

Leia também: Trisal conta como é casamento poliamor: ‘Estamos abertos a mais mulheres’

"Isto pode ocorrer meses ou anos depois, pode ocorrer que um dos dois queira parar com o relacionamento aberto ", afirma Oswaldo. O mais importante é lembrar que cada um tem um valor moral e que apesar da curiosidade de abrir o relacionamento, é necessário ter uma integração com esses valores.

    Veja Também

      Mostrar mais