Tamanho do texto

Sabe quando você e o seu namorado ou marido precisam decidir sobre qual série vão assistir? É apenas uma das maravilhas de morar junto com alguém!

Quando se está em um relacionamento sério, é totalmente comum que o próximo passo seja morar junto com seu parceiro, mesmo antes de oficializar o casamento.  A experiência geralmente acontece quando o casal tem intimidade suficiente para conversar sobre tudo e, ao se mudar, é preciso aprender compartilhar muito mais que apenas a casa e o controle remoto da televisão.

Leia também: Casais contam como lidam com a pressão para casar

Quando você vai morar junto com o seu companheiro, algumas situações podem gerar conflitos
shutterstock
Quando você vai morar junto com o seu companheiro, algumas situações podem gerar conflitos


Por isso, essa é uma etapa de teste para ambos e pode ser decisiva para a relação, e quem vive essa rotina sabe que nem tudo são flores. Veja algumas das situações que podem não te agradar tanto ao morar junto com quem você escolheu para amar: 

1. Seu banheiro parece muito menor do que é

Duas pessoas que compartilham um banheiro é um exemplo de força de vontade. Talvez você pense que não é necessário de muito espaço para os objetos de higiene pessoal ou cosméticos; ou pode pensar que está confortável com alguém andando e conversando com você enquanto está fazendo suas necessidades; e até mesmo que você não toma banhos muito longos, ou que não deixe tanto cabelo no ralo, mas parece que você está muito errada e é provavel que só não perceba que faça essas coisas. 

Para dividir o banheiro sem muitos estresses tente, por exemplo, deixar claro qual o espaço de cada um e estabelecer algumas regrinhas de convivência, como não deixar a tampa do vaso levantada ou a toalha molhada jogada em um canto. 

2. Os programas de televisão são uma moeda de troca

Isso é algo que você aprende uma vez que começa a compartilhar seu tempo de lazer. As horas que você pode dedicar à televisão são limitadas, o que significa escolher quais programas vocês vão assistir juntos e quais você precisa abandonar — ou só deixar pra depois. E, sim, você pode até ter duas TVs, mas o ponto de conviver com alguém é para que seja possível passar mais tempo juntos e, consequentemente, assistir aquela série preferida durante horas, certo? 

Portanto, negocie com o parceiro. Vocês podem ver futebol juntos um dia na semana e fazer maratona de séries no outro. 

3. Você nunca vai dormir exatamente quando quer

Se você não tiver muito atarefada com coisas do trabalho, com certeza, seu parceiro vai. Ou então, ele apenas vai acordar primeiro e depois te acordar porque está entediado sozinho. E mesmo que ele te deixe dormir, você vai ser acordada pelo barulho que ele faz pela casa. Aceite que essa é a sua vida agora.

Para minimizar essas situações, quem tiver de ficar até mais tarde trabalhando, por exemplo, não deve fazer isso no quarto e, sim, em outro cômodo. E se um do casal acordou antes no final de semana, que tal aproveitar o tempo e preparar um belo café da manhã para o outro? Assim, ao acordá-lo, a surpresa será positiva. 

4. Há sempre alguém para testemunhar todas as coisas estranhas que você faz quando está "sozinha"

Pessoas são estranhas. Quando você sai em público fica claro que todos estão apenas tentando realmente não ser tão estranho quanto realmente são. Então, em casa é o momento de relaxar e deixar suas esquisitices à mostra. 

Quando você mora sozinho, isso é bom porque ninguém vê esses momentos, mas quando você mora junto, sempre há alguém lá para ver como você bate os pés no ritmo de uma música ou come algo em uma ordem específica. 

Simplesmente relaxe! Se vocês estão no ponto de relacionamento que podem morar juntos, significa que vocês têm intimidade o suficiente. Essas "estranhices" provalmente vão virar motivos de brincadeiras entre vocês. 

5. Um de vocês que tolera mais bagunça do que o outro

É bem provável que um de vocês seja pelo menos um pouco mais desorganizado do que o outro. E onde você pode ver um cenário de guerra, ele consegue enxergar apenas algumas roupas que ainda não foram guardadas. Redefinir o que constitui o significado de "bagunçado" pode ser uma luta.

Respire fundo! Com o tempo vocês vão se entender. No primeiro mês aquela roupa jogada no canto do quarto vai te irritar, mas com o tempo o outro vai perceber que a roupa não vai criar perninhas e sair sozinha dali e vai tomar mais cuidado com a arrumação do local - pelo menos é isso que esperamos! 

Leia também: Paixão ativa as mesmas células cerebrais que drogas ilegais, diz estudo

6. Você vai perceber que provavelmente poderia organizar melhor seu dinheiro

Talvez você costume pensar, "ei, em vez de gastar meu dinheiro em coisas como aluguel e contas, eu vou comprar uma nova roupa ou qualquer coisa do tipo". E naquela época, isso realmente era possível, mas agora, você está compartilhando seus recursos financeiros com alguém.

Se vocês dois pensam assim, você vai aprender a maneira difícil de ser um adulto com seu dinheiro, mas se um de vocês é um adulto responsável e seu parceiro gosta de gastar um pouco mais, talvez isso seja um problema.

Mais uma vez, um bom diáologo costuma ajudar. Definam as prioridades como casal e também qual o melhor caminho para vocês, se é manter as contas separadas e cada um administrar seu dinheiro ou somar tudo e dividir todas das despesas. Não há fórmula mágica, mas esse é um assunto que geralmente traz confusões a dois. Portanto, conversem bastante para chegar ao melhor caminho. 

7. Fazer planos com base nos horários de duas pessoas é um desafio

Fazer planos é bastante difícil em uma situação normal. Você não só precisa encontrar equilíbrio com seus próprios afazeres, mas também precisa se sentir disposta para sair ou fazer alguma coisa divertida depois do trabalho. Agora, imagine ter que fazer isso por duas pessoas...

Tente entender o parceiro ou parceira. Se alguém está exausto naquele momento provavelmente não será o fim do mundo adiar a saída por um dia. E lembre-se que vocês moram juntos, mas não precisam necessiariamente fazer tudo juntos. Amigos estão aí para serem as melhores companhias em diversas ocasiões. 

8. Ter que dizer às pessoas onde seu parceiro está quando você sai sozinha

Aí chegou o dia que ele está cansado demais ou tem um compromisso no trabalho e não pode te acomoanhar. Esteja preparada, porque algumas perguntas bem chatas te esperam. Se você mora junto com o parceiro, mas aparecer em um evento familiar ou em uma festa com os amigos sozinha pode ser a coisa mais chocante que você pode fazer. Provalmente vão te perguntar o que aconteceu, se está tudo bem com vocês, onde ele está, se estão bem... A lista é grande. Infelizmente tem muita gente chata nesse mundo e que passa mais tempo perguntando sobre o seu parceiro do que sobre o que você está fazendo.

9. Priorizar as coisas que você precisa para a casa pode gerar brigas

Você precisa de um novo tapete para a sala de estar ou um novo roteador? Vocês realmente precisam passar o dia inteiro procurando novos pisos para o banheiro? Você ainda precisa trocar o piso do banheiro? Esses debates virão o tempo todo e você terá que fazer um debate, como dois líderes mundiais discutindo sobre os recursos naturais.

A dica por aqui é parecida com a citada no item número 6, que fala de dinheiro. Vocês devem conversar para, juntos, decidir o que é prioridade de fato naquele momento ou não. No meio do caminho até podem sair algumas faíscas, mas no final vocês vão conseguir se entender. Se não der para trocar o tapete e comprar um novo roteador no mesmo mês, façam um acordo e comprem um agora e o outro no próximo salário. Mas esse acordo deve ser cumprido, ou a todo pagamento terá uma nova briga. 

10. Brigar por coisas mais bobas

Não importa o quão perfeito é o seu relacionamento, porque uma vez que vocês forem morar junto, vão encontrar coisas para brigar. Você vai brigar sobre manter e tampa do vaso sanitário levantada ou abaixada, ou sobre a quantidade de caixas de leite que vão comprar. E provavelmente, você sabe que pode resolver isso e não vai ficar brava por muito tempo com seu parceiro.

11. No fim das contas, vocês se amam

Mesmo que todas essas situações sejam reais, escolher compartilhar o cotidiano com alguém é, na realidade, um benefício para os dois. Vocês se amam e escolheram ficar juntos, certo? Então nenhuma dessas coisas será realmente problema e o que importa é o quanto são felizes juntos. Vocês mesmos vão conseguir criar as próprias dicas para sair de situações complicadas do dia a dia. 

E até a ciência concorda que a vida a dois faz bem. De acordo com uma pesquisa  publicada no "Journal of Marriage and Family", tanto os casais que oficializaram a relação quanto os que decidiram morar junto apresentaram um aumento considerável no nível de felicidade em um curto período de tempo, além de terem menos sintomas depressivos, comparando com a época em que eram solteiros. 

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.