Tamanho do texto

Ao contrário do estereótipos de mãe solteira, Lucy está em busca de sexo casual e até terminou um namoro que estava ficando sério demais

Tudo o que uma mãe solteira quer quando o filho já está mais crescidinho é arrumar um novo parceiro ou parceira e aproveitar a vida juntinho da pessoa e da criança, certo? Não necessariamente, como conta Lucy Dixon. “Quando eu disse a Tom*, o cara com quem eu estava namorando, que eu não queria mais vê-lo porque queríamos coisas diferentes, ele provavelmente pensou que eu queria dizer casamento”, afirma ela ao veículo britânico “The Sun”. Na realidade, o que ela diz estar procurando são "noites fantásticas e com muito sexo". 

Leia também: 9 regras do sexo casual que todo homem deveria conhecer

As pessoas costumam imaginar que tudo o que uma mãe solteira quer é um novo parceiro, mas ela pode, sim, querer vários. É o caso de Lucy Dixon, que chegou até a terminar um relacionamento por ele estar ficando muito sério
Reprodução/The Sun
As pessoas costumam imaginar que tudo o que uma mãe solteira quer é um novo parceiro, mas ela pode, sim, querer vários. É o caso de Lucy Dixon, que chegou até a terminar um relacionamento por ele estar ficando muito sério

Apesar de gostar de ficar abraçada no sofá com Tom uma vez por semana, isso não foi suficiente para que ela quisesse continuar o relacionamento com ele. “Como mãe solteira, meu tempo livre, quando eu realmente posso sair da casa, é precioso e eu certamente não queria desperdiçá-lo assistindo televisão com o Tom”, explica.

Logo após o divórcio , Lucy já começou a procurar outros relacionamentos. “Eu estava no início dos meus 30 anos, solteira pela primeira vez em dez anos e, após o trauma de um casamento fracassado, estava ansiosa para sair, me divertir e conhecer novas pessoas”, diz a mãe. Como ela passava todas as noites em casa, decidiu começar a usar aplicativos de namoro enquanto o  filho estava dormindo.  

“No começo, pareceu excitante criar perfis nos aplicativos e imediatamente receber muitas mensagens”, conta Lucy. “Mas logo fiquei desanimada quando contei para meus amigos e familiares sobre minha nova vida amorosa. A negatividade deles foi surpreendente e bastante perturbadora às vezes”, lamenta.

Leia também: Mãe fala sobre luta durante a amamentação e desabafo viraliza

De acordo com Lucy, alguns sentiram que estava muito cedo para adotar essa conduta. Um amigo dela inclusive sugeriu que ela se concentrasse em ficar sozinha, enquanto um membro da família perguntou por que ser mãe não era o suficiente para ela. “Eles disseram que eu deveria esperar até meu filho ter 16 anos - apenas mais 15 anos sozinha!”, conta Lucy, incrédula. Esses comentários fizeram-na sentir como se o desejo de namorar e fazer sexo a tornassem uma mãe pior, enquanto pais não costumam receber o mesmo tipo de crítica. Foi então que ela decidiu manter suas aventuras sexuais escondidas.

Porém, nesse processo, Lucy percebeu que conhecer novos parceiros não é tão divertido quanto ela imaginava. “O que ficou imediatamente claro é que muitas pessoas da minha idade são como Tom e agem como se estivessem casados ​​há 30 anos. Eu percebi que não sou mais uma adolescente, mas isso não significa que eu quero ir mais rápido em um relacionamento”, explica Lucy.

Leia também: Mãe "fora dos padrões" critica estereótipos sobre maternidade

Vida de mãe x encontros

Para Lucy, a falta de tempo é um dos fatores que a atrapalham na hora de ter um relacionamento. “Meu filho fica com o pai a cada 15 dias, então eu tenho precisas 48 horas a cada duas semanas para me divertir. Uma vez eu tive quatro encontros com homens diferentes em dois dias, mas, como eu não sou boa em encontrar homens online, ter quatro encontros ruins em dois dias foi triste demais para repetir”, relata ela.

“Ser uma mãe solteira definitivamente me deixou mais exigente. Eu duvido que eu seja visto como uma grande conquista e imagino que muitas pessoas pensam que eu deveria me contentar com quem eu sou. Mas eu ainda acho que eu mereço alguém realmente especial”, finaliza.