Tamanho do texto

De acordo com a pesquisa, apesar de o álcool ser relacionado com relaxamento, é possível que casais que bebem mais sejam menos satisfeitos com o próprio relacionamento e ainda tenham problemas na vida sexual

É difícil encontrar uma pessoa que não fique minimamente ansiosa antes de um primeiro encontro , afinal, há muito com o que se preocupar na hora de tentar causar uma boa impressão. Será que a roupa escolhida é uma boa opção ou é apenas ridícula? Será que o papo vai fluir ou vai tudo por água abaixo nos primeiros cinco minutos? Enquanto alguns preferem encarar essa ansiedade de frente (mesmo que isso signifique uma dor de barriga daquelas), outros optam por consumir algo frequentemente relacionado com relaxamento: o álcool.

Leia também: Desempenho sexual pode ser afetado pela alimentação? Nutricionista explica

De acordo com a pesquisa, apesar de o álcool ser relacionado com relaxamento, é possível que casais que bebem mais sejam menos satisfeitos com o próprio relacionamento e ainda tenham problemas na vida sexual
Shutterstock
De acordo com a pesquisa, apesar de o álcool ser relacionado com relaxamento, é possível que casais que bebem mais sejam menos satisfeitos com o próprio relacionamento e ainda tenham problemas na vida sexual

Por deixar as pessoas mais “soltinhas”, o álcool é uma saída comum para situações em que as pessoas estão se sentido ansiosas. É comum, por exemplo, que mulheres sejam aconselhadas pelas amigas a beber algo alcoólico quando dizem ter dificuldades de relaxar ao fazer sexo. De acordo com uma pesquisa realizada recentemente pela Recovery First – organização norte-americana de reabilitação –, para 46% dos homens e 36% das mulheres, é normal tomar alguma coisa alcóolica antes de um primeiro encontro, mas será que isso é uma boa ideia?

Leia também: Onde fica a vagina? Um em cada dois homens não sabe responder

Consequências

É comum ouvir que certas bebidas alcoólicas podem fazer bem para alguns aspectos do corpo quando consumidas em doses moderadas; é o caso, por exemplo, do vinho tinto, que traz benefícios para o coração. Porém, segundo a instituição, apesar disso, o consumo em excesso pode fazer mal não apenas para a saúde, mas para os relacionamentos da pessoa, principalmente se a substância for usada ocasionalmente para que ela “se solte”. “Enquanto beber para reduzir ansiedade e estresse pode não parecer problemático, o álcool pode se tornar uma muleta que você acredita precisar para se sentir confortável”, diz o estudo.

Outros dados levantados pela pesquisa – que consultou 500 pessoas sobre o consumo de bebida alcoólica em encontros e a forma que a substância afeta os relacionamentos – relacionam o número de vezes por mês que os parceiros bebem juntos e o nível de satisfação que eles têm com o relacionamento . Enquanto a categoria que concentra a maior porcentagem de pessoas completamente satisfeitas com a relação (36%) é a dos casais que não bebem juntos nunca, a categoria dos que o fazem de 10 a 13 vezes no mês é a que concentra a menor porcentagem de satisfeitos (25%).

Leia também: Veja dicas de como retomar a vida amorosa e sexual após uma separação

Além de poder se tornar uma muleta, o álcool em excesso, segundo a organização, pode aumentar a ansiedade depois que o efeito passa, causar depressão, perturbar o sono e até desencadear comportamentos agressivos. Além disso, a substância pode ser até reduzir a capacidade das mulheres terem orgasmos e de homens terem ereções. Talvez seja melhor repensar aquele encontrinho no bar, hein?

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.