Tamanho do texto

"Muitas pessoas são liberais em teoria ou quando não há envolvimento. Mas, quando o assunto vai para a prática e elas passam a ter um envolvimento afetivo, isso se tornar bem complicado", afirma a psicóloga Gabriela Monea

Os brasileiros costumam ser vistos como um povo liberal que exala sensualidade, porém a realidade pode estar bem distante disso. Na verdade, a ansiedade, o estresse e o esgotamento mental estão entre as coisas que mais atrapalham a vida sexual dos casais, mas não é só isso. Os pensamentos de uma sociedade conservadora ainda é uma das coisas que mais assombram os casais. 

Leia também: Jogos eróticos: veja algumas brincadeiras para apimentar a relação

Nada de ser conservadora! Psicóloga afirma que isso só é uma forma de reprimir o próprio desejo
shutterstock
Nada de ser conservadora! Psicóloga afirma que isso só é uma forma de reprimir o próprio desejo


Você deve estar pensando como saber se é conservadora ou liberal. A psicóloga da Zenklub, Gabriela Monea, explica que conservadora é a pessoa que se enquadra em padrões rígidos de moral e costumes e não consegue se desapegar disso. “Muitas pessoas são liberais em teoria ou quando não há envolvimento. Mas, quando o assunto vai para a prática e elas passam a ter um envolvimento afetivo, isso se tornar bem complicado”, afirma.

Já a mulher liberal não é aquela que topa tudo na cama. Na verdade, é aquela que consegue conversar sobre o assunto e expõe para o parceiro o que deseja na cama, quais fantasias sexuais que possui e o que não gosta na hora do sexo.  

Deixe o machismo de lado

Se você realmente não consegue conversar sobre o assunto sexo, saiba que não está sozinha! Para Gabriela, a sociedade ainda vive uma cultura machista que insiste julgar as pessoas que expõe os desejos sexuais que possui. “Estamos longe de mudarmos isso. Já ocorreu uma grande mudança, mas ainda não é suficiente para dizer que fazemos parte de uma sociedade liberal”, fala a especialista. 

Leia também: "Era humilhado por não gostar de futebol": homens contam como encaram o machismo

Entretanto, se você quer mudar o pensamento, as atitudes e a postura, a dica de Gabriela é começar procurarando informações. Como ela explica, assim vai perceber que todos têm desejos e vontades diferentes, e que isso não é nada de outro mundo!

Uma forma de conseguir falar sobre o assunto sem pudores é através da terapia. “É preciso falar sobre o que se passa dentro de você. Precisamos estar abertos para conversar sobre qualquer assunto, sem que isso seja um tabu”, aponta Gabriela.

A especialista conta que atende muitas mulheres que querem apenas conversar sobre temas sobre os quais não têm liberdade de falar com o parceiro ou até com as próprias amigas. A principal dica que ela dá é identificar o próprio perfil sexual e se libertar dos preconceitos. Se a pessoa ou o casal possuem um perfil conservador, por exemplo, e gostam de viver dessa forma, isso não é um problema, mas, sim, o perfil deles, aponta a psicóloga.

Apimente a relação sem medo

Ao buscar informações, você vai perceber que as fantasias e os fetiches podem, sim, apimentar a relação, mas fique esperta! Lembre-se que para ser prazeroso, ambos precisam estar de acordo e se sentir à vontade em viver uma nova experiência na cama. “A pessoa que tem um perfil mais liberal pode se deparar com conflitos, dificuldades, preconceitos muitas vezes até inconscientes, e diversas dificuldades e disfunções sexuais são sintomas desses conflitos”, alerta a psicóloga.

Leia também: Fora da cama! 10 posições sexuais para fazer quando estiver longe do quarto

Além de falar sobre o assunto (com um especialista, amigas ou o próprio parceiro), leia, ouça, conheça e não julgue outros pontos de vista, como defende a especialista. É preciso entender que as diferenças existem e que elas podem ser interessantes. “Mesmo que você não concorde, entenda que para outra pessoa aquilo pode funcionar. Nada acontece da mesma maneira para todas as pessoas, nem para aquela conservadora”, finaliza a psicóloga.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.