Tamanho do texto

Cada vez mais realistas e parecidos com seres humanos, os robôs estão sendo utilizados para o entretenimento de adultos

Apesar de muitas pessoas acharem que infidelidade é fazer sexo com outra pessoa sem o parceiro saber, o conceito de traição ainda não é o mesmo para todos, principalmente se o sexo em questão envolver uma máquina. Uma pesquisa feita pelo serviço de streaming “Now TV” mostrou que uma boa parte dos britânicos disse considerar adultério se o parceiro fizer sexo com um robô.  

Leia também: Pesquisa revela a idade em que as pessoas mais cometem traição

Seis a cada dez britânicos consideram fazer sexo com robô uma traição
shutterstock
Seis a cada dez britânicos consideram fazer sexo com robô uma traição

O estudo foi baseado na série Westworld , em que as pessoas podem visitar um parque temático futurista para viver suas fantasias mais sombrias e mostrou que a relação com máquinas ainda divide opiniões. De acordo com a pesquisa, seis a cada dez britânicos consideram fazer sexo com robô uma traição e cerca de 36% das pessoas entrevistadas disseram que ficariam felizes em ter uma relação sexual com a máquina.

E parece que também há expectativas para o futuro: 39% dos entrevistados disse que será comum ter relações entre robôs e seres humanos em apenas 34 anos.

Leia também: Pesquisa revela as principais justificativas que as pessoas dão para uma traição

Apesar de os resultados sugerirem que muitas pessoas são a favor da relação entre pessoas e humanos, a maioria ainda é contra a prática. 79% dos britânicos disse considerar “eticamente errado” esse tipo de relação sexual. Além disso, um a cada três entrevistados disse que ficaria “horrorizado” se um de seus amigos começasse um relacionamento com robôs, e 16% ainda tentaria convencê-los a terminar.

O professor Noel Sharkey, da Universidade de Sheffield e especialista em robótica , afirma que os robôs e a inteligência artificial estão muito longe da sofisticação técnica do parque temático em Westworld, mas que ainda assim precisamos nos preparar para o futuro. "Como sociedade, precisamos começar a decidir sobre quais são os limites éticos para o uso de robôs, para que, quando eles forem integrados em nossas vidas diárias nas próximas décadas, nós estejamos prontos", diz ele ao Daily Mail.

Leia também: Estudo mostra o que homens e mulheres consideram traição no relacionamento 

Gênero também influencia

Parece que o resultado também está relacionado com o gênero da pessoa. Em um estudo anterior realizado pelos pesquisadores Matthias Scheutz e Thomas Arnold da Tufts University, foi visto que dois em cada três homens estariam dispostos a fazer sexo com um robô. Quando foi a vez de as mulheres responderem a mesma pergunta, mais de 60% se mostraram fortemente contra a prática.