Tamanho do texto

Além de trazer benefícios ao bem-estar, fazer massagem a dois também promove melhorias no relacionamento; conheça algumas técnicas

De acordo com um estudo realizado pela Universidade de Northumbria, no Reino Unido, fazer massagem  no parceiro ou na parceira não serve apenas como um agrado bastante relaxante. As 38 pessoas que participaram da pesquisa realizaram um curso básico da prática em grupo e depois tiveram de responder perguntas a respeito do que estavam sentindo, sobre estresse e sobre questões de saúde física e mental em geral.

Além de diminuir os níveis de estresse, a massagem a dois pode melhorar a relação do casal
Shutterstock
Além de diminuir os níveis de estresse, a massagem a dois pode melhorar a relação do casal

Os resultados que a equipe levantou foram surpreendentes: de todos os casais participantes, 74% deles disseram que pretendem inclusive continuar praticando a massagem a dois e 90% deles garantem que recomendariam a prática. Além disso, os pesquisadores afirmam que a prática faz com que os níveis de estresse caiam e que a troca de carícias faz com que os parceiros fiquem mais próximos, favorecendo a estabilidade da relação.

Outra prática que está bastante relacionada tanto à saúde física e psicológica quanto à vida sexual é a tântrica . De acordo com o terapeuta corporal Daniel Carletti, essa modalidade exercita e fortalece a musculatura pélvica, desperta zonas erógenas que podem ser desconhecidas para as pessoas, promove o autoconhecimento e ainda pode proporcionar orgasmos estratosféricos.

Porém, ninguém precisa ser um especialista em massagem para tocar sensualmente o parceiro ou a parceira. Confira algumas dicas de especialistas e técnicas que você pode usar para presentear seu amado ou amada com uma carícia relaxante e prazerosa.

Por onde começar?

Na hora de massagear o amado ou amada, o ambiente deve estar tanto tranquilo quanto convidativo, o que requer uma certa preparação prévia. Um local onde não haja possibilidade de interrupções e barulhos exagerados é o ideal. Além disso, o casal também deve estar tranquilo; Daniel afirma que a respiração da pessoa que está massageando outra deve ser lenta e leve para transmitir relaxamento à pessoa que estiver recebendo.

Outro artifício interessante é o uso de alguma substância própria para a prática e que também ajude a estimular os sentidos. Na aromaterapia, alguns óleos são conhecidos  por criarem um clima erótico e sedutor, estimularem a excitação e até inibirem a timidez. São eles: óleo de gengibre, de canela, patchouli e sálvia esclareia. Para utilizá-los nesse momento, o ideal é misturar seis gotinhas do óleo escolhido e aproximadamente 30 ml de óleo vegetal de semente de uva.

Uma opção mais descontraída  que também facilita na hora de deslizar das mãos pelo corpo e pode até criar sensações artificialmente são os géis e lubrificantes íntimos. Alguns deles provocam sensação de calor, frio, formigamento, enquanto outros chegam até a ser comestíveis, o que pode tornar o ato ainda mais “caliente”.

Quando você for realmente "colocar a mão na massa", há algumas formas interessantes de incrementar a massagem para que ela se torne mais sensual logo no início. Enquanto massageia o corpo por completo (pés, pernas, costas, etc.) com movimentos circulares ou pressionando o polegar, é interessante variar a intensidade da pressão. Envolver os cabelos e os seios na hora de estimular a outra pessoa também são opções.

Além disso, também é importante estimular as zonas erógenas do corpo, ou seja, aquelas que, quando tocadas, proporcionam sensações mais prazerosas. De acordo com o terapeuta corporal, há algumas áreas específicas do corpo do homem e da mulher em que o toque é mais agradável. Ele afirma que a região atrás das orelhas, as solas dos pés, as mãos e as laterais do corpo são ideais para elas, enquanto, para homens, é legal estimular a região do cóccix (que fica logo acima do bumbum, no final da coluna) e períneo (trecho de pele que fica entre o pênis e o ânus).

Técnicas

É claro que, para alcançar os orgasmos estratosféricos que o tantra pode proporcionar a quem pratica é preciso buscar um profissional como Daniel, cujas técnicas podem ajudar até no tratamento de traumas, mas é, sim, possível incorporar algumas coisas em casa também.

De acordo com o terapeuta, a técnica tântrica se divide em duas partes. Na primeira, o massagista toca o corpo da pessoa apenas com as pontas dos dedos, para estimulá-lo como um todo e, na segunda, há a estimulação das partes genitais.

Ele enfatiza, porém, que não se trata de masturbação e, portanto, não pode ser executada como tal. Em mulheres, ele recomenda a estimulação do músculo clitoriano (um pouco acima do clitóris em si) com o dedão. Já em homens, é importante segurar o prepúcio (porção móvel de pele que cobre a glande do pênis) para que ele não suba e desça como na masturbação. Então, a pessoa deve “abocanhar” o pênis com a mão, estimulando a ponta do membro.

Um simples colar de pérolas pode ser um acessório poderoso para a massagem
Shutterstock
Um simples colar de pérolas pode ser um acessório poderoso para a massagem

Outra técnica interessante para praticar com o parceiro ou a parceira é a da massagem com pérolas. Isso mesmo, pérolas! Algumas lojas de acessórios adultos vendem kits com colares de pérolas que vêm acompanhados de géis lubrificantes e, segundo a sexóloga Priscila Junqueira, a ideia surgiu com as dançarinas de cabaré em meados do século 19.

Apesar de parecer estranho, a sensação que o deslizar das bolinhas proporciona no corpo é incrível e pode ser uma boa ideia se o seu objetivo aqui é surpreender a pessoa amada com uma novidade. Priscila afirma que quem quiser experimentar pode fazê-lo tanto com um colar de pérolas legítimas quanto com um falso, mas enfatiza que é importante verificar a qualidade do produto antes de utilizá-lo (cheque possíveis saliências que possam machucar o outro, por exemplo).

Mas como o colar deve ser usado? Priscilla explica que, convencionalmente, a técnica é utilizada para estimular a região peniana. “O ideal é começar enrolando o colar em toda a base do pênis, mas deixando uma ponta de cada lado para que você possa movimentá-lo para cima e para baixo, fazendo uma leve pressão”, ensina a sexóloga.

Leia também: Massagem tântrica melhora o sexo: "É como perder a virgindade"

Além disso, o colar também pode ser utilizado prazerosamente para se fazer massagem em outras partes do corpo, mas com uma condição: estar lubrificado. “É a criatividade que vai mandar, junto com a vontade do casal de experimentar coisas novas. As próprias pérolas, pedras, bolinhas, podem ser usadas para massagear as costas e até mesmo os pés que, dependendo da pessoa, podem ser uma boa zona erógena”, aconselha ela.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.