Tamanho do texto

Campanha desenvolvida pelo Centro de Proteção a Crianças do Canadá que visa lutar contra extorsões aconselha jovens a enviarem fotos de toupeiras peladas quando forem incentivadas a mandar nudes e faz sucesso na web

Em um estudo realizado pela Universade Drexel, na Filadélfia, 87,8% dos adultos consultados afirmam ser adeptos do “sexting”, ou seja, envio de imagens sensuais e nudes, sexo virtual e outras práticas que seguem essa linha. Apesar de fazer parte da vida sexual de muitos, a normalização dessa prática pode colocar jovens em risco.

Leia também: "Me senti inútil", diz modelo que teve fotos íntimas expostas pelo ex-namorado

'Você quer nudes? Você não pode lidar com as nudes', diz uma das imagens disponibilizadas pela campanha para os jovens
Reprodução/Canadian Centre for Child Protection
'Você quer nudes? Você não pode lidar com as nudes', diz uma das imagens disponibilizadas pela campanha para os jovens

O "revenge porn" (divulgação de imagens íntimas sem o consentimento da pessoa que aparece nelas como forma de vingança) e o “sextortion” (forma de extorsão que usa nudes como forma de chantagear alguém) são crimes frequentes e, por falta de informação ou inocência, pessoas mais jovens podem se ver em situações perigosas. Pensando nisso, o Canadian Centre for Child Protection (Centro de Proteção a Crianças do Canadá em tradução livre) criou uma campanha inusitada envolvendo... Toupeiras peladas. 




A instituição canadense afirma que crimes de extorsão envolvendo imagens íntimas de jovens estão se tornando cada vez mais frequentes, faz alguns alertas buscando explicar os riscos do “ sexting ” para crianças e adolescentes e dá uma ótima dica para evitar cair em situações perigosas: enviar fotos de uma toupeira pelada a quem pedir nudes.

Leia também: Por engano, mulher sensualiza em vídeo ao vivo no Instagram da empresa

Riscos

Mandar imagens íntimas para desconhecidos pela internet é uma prática bastante arriscada e a campanha destaca tudo o que deve ser levado em consideração ao se trocar mensagens desse tipo:

  • Transmissões ao vivo não são seguras porque podem ser gravadas facilmente e o risco para quem usa esse recurso e para quem manda fotos íntimas é o mesmo;
  • A menos que a pessoa do outro lado do computador ou do celular seja um conhecido na vida real, não há como ter certeza de quem está respondendo as mensagens;
  • Transmissões ao vivo podem ser, na realidade, vídeos gravados. Um adulto pode postar o vídeo de uma garota como se ele estivesse sendo transmitido ao vivo, por exemplo;
  • É necessário desconfiar de tudo, principalmente de pessoas que sempre têm desculpas para não se mostrarem em fotos ou vídeos.

Leia também: Como mandar fotos íntimas de forma mais segura? Adeptas da prática dão dicas

Prevenção

De acordo com a campanha, a melhor forma de evitar esse tipo de crime é não mandar nudes. Em vez disso, a instituição aconselha jovens a enviarem imagens divertidas do estranho animalzinho e disponibiliza até gifs gratuitos que podem ser usados para isso.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.