Tamanho do texto

Especialista em sexualidade e relacionamento e colunista do iG Delas explicao que fazer para evitar que o ciúme destrua o relacionamento

Você já deve ter ouvido falar do termo “relacionamento abusivo”. O fato é que muita gente acaba exagerando nas cobranças que faz ao parceiro ou à parceira por um único motivo: o ciúme! Segundo Cátia Damasceno, colunista do Delas e criadora do programa “Mulheres Bem Resolvidas”, esse sentimento pode ser positivo em pequenas doses, mas nunca é bom em excesso. “Não é à toa que muitas mulheres terminam o casamento e ficam com o pensamento de que nunca mais querem se casar. Eu sei do que estou falando pois já passei por isso”, conta.

Leia também: O que torna uma mulher bem resolvida? Educadora sexual lista 3 características

De acordo com Cátia Damasceno, o ciúme só é saudável em pequenas doses
Shutterstock
De acordo com Cátia Damasceno, o ciúme só é saudável em pequenas doses


Ciúme e confiança

Para explicar como vencer o ciúme, Cátia conta que primeiramente é necessário conquistar confiança. “A confiança é um sentimento de quem acredita no outro e nas ações que ele terá”, conta. O problema enfrentado por muitos na hora de desenvolver confiança, segundo ela, é que muitos não conseguem fazê-lo devido a uma condição natural ou traumas de experiências passadas. A especialista destaca que o estado de alerta constante que o ciúme gera leva a um sentimento de estresse, e que isso faz com que se tome decisões irracionais.

O segredo para não deixar que o ciúme domine sua vida, segundo Cátia, é trabalhar a autoconfiança. “Comece entendendo de onde vem esse sentimento ruim e coloque-se no centro dessa pesquisa interna”, conta a especialista, destacando que é preciso se preocupar com o controle de si mesma e não do parceiro. “Comece controlando o que você pode realmente controlar e assuma as responsabilidades do que acontece dentro de si mesma”, sugere ela.

Leia também: Especialista dá dicas poderosas de como melhorar seu desempenho sexual

Cátia conta que, quando uma mulher gosta de si mesma e sente segurança quanto à sua sensualidade e inteligência, ela passa a ser mais admirada e, com isso, passa ao parceiro ou à parceira o sentimento de que é ela quem escolhe estar naquele relacionamento . “Ela com certeza vai se sentir insegura e ter ciúmes em diversos momento, mas esse sentimento natural vai embora quando ela entende que é comum ter interesse sexual por outras pessoas. Porém, o motivo para manter um relacionamento vai além do prazer sexual”, reforça.

Por fim, Cátia aconselha que as mulheres não transmitam insegurança com brigas e revoltas ao primeiro sinal de ameaça. “Você precisa mudar, e essa é a hora para não fazer do seu relacionamento algo que te destrói”, explica. Ainda assim, a especialista destaca que existem casos raros em que o ciúme gera transtornos e alucinações. “Se for esse o caso, não se sinta culpada, mas procure ajuda profissional o mais rápido possível”, completa. “É possível vencer esse problema e transformar o ciúme em algo saudável que não vai destruir a sua relação”, conclui. Quer esclarecer outras dúvidas sobre sexo e relacionamentos? Acompanhe a coluna da Cátia Damasceno  no iG Delas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.