Tamanho do texto

Três mulheres contam como foi reatar o casamento após passar pelo divórcio

O casamento é um compromisso para vida toda e que, às vezes, pode não dar certo. Pode ser muito difícil dar outra chance ao seu relacionamento depois de passar pelo processo divórcio. Mas, superando isso, é possível aprender grandes lições sobre relacionamentos e sobre o amor.

Leia também: Especialistas respondem principais dúvidas sobre separação

Mulheres decidiram casar-se novamente com ex-maridos após divórcio
shutterstock
Mulheres decidiram casar-se novamente com ex-maridos após divórcio

Três mulheres contaram para a revista “Women’sHealth” americana como foi reatar com os ex-maridos após o divórcio e as lições importantes que aprenderam:

Amizade é o mais importante

"Meu marido e eu temos muita história. Eu tinha 19 anos quando nos conhecemos. Ele foi o meu primeiro namorado, e nós conectamos por causa de nossas  criações problemáticas – eu tinha uma mãe abusiva e um pai que fingia não notar, e ele era dependente de álcool e drogas. Eu queria sair da minha cidade natal no Missouri, por isso rapidamente nos casamos e mudamos para a Califórnia. Nós imediatamente tivemos dois filhos. Mas, infelizmente, os nossos respectivos problemas afetaram o nosso casamento, tornando o muito difícil. A nossa separação foi ainda pior.

Voltei a casar rapidamente, não porque encontrei alguém que amava mais do que o meu primeiro marido, mas porque queria dar aos meus filhos uma sensação de segurança. Eu tenho certeza de que ele sabia que era por isso também. Ficamos juntos por 15 anos, mas éramos infelizes. Nós brigávamos muito, e ele nunca parecia entender a ideia de ser um padrasto.

Leia também: Advogado ajuda a evitar divórcio com perguntas simples e faz sucesso na web

Um dia, depois que meus filhos já estavam crescidos, eu encontrei meu primeiro marido. Eu sabia que eu ainda o amava, apesar de não tê-lo visto por 15 anos, e mesmo que ele não estivesse na vida de nossos filhos. Eu disse a ele que nossa amizade era profunda o suficiente para que se ele prometesse permanecer limpo e se esforçasse para se tornar o marido e pai que deveria ser, eu o perdoaria. E ele fez isso. Nosso neto de 4 anos o adora, e ele reconstruiu seu relacionamento com as crianças.

Eu não acredito que qualquer um aos 19 ou 20 anos compreenda verdadeiramente o casamento, o compromisso e a jornada. É uma dança profunda e complexa de dar e receber, e a amizade é mais valiosa no relacionamento do que ouro. Percebi que quanto mais velho você fica, mais compreende o significado da vida, do amor, da amizade e do amor incondicional.”

Lisa* (nome fictício), 58, Springfield, Missouri

Não se esforce para completar o outro

"Eu amei meu marido, Patrick, desde que eu tinha 13 anos. Demorou 10 anos para ele me notar, mas quando ele notou, nos apaixonamos. Nós nos casamos depois de nove meses de relacionamento , reconhecendo que ambos trouxeram questões para o casamento, mas acreditando que o amor seria suficiente. Eu sabia que ele era o certo.

Mas estávamos casados ​​com nossos empregos. Nos afastamos e começamos a nos ressentir com o outro. Depois de quatro anos de casamento, tivemos um bebê, o que só aumentou nossas diferenças. Ele se divorciou de mim 3 anos depois.

Apesar de nossos problemas, eu sempre soube que ele era o único, e eu fiquei devastada. Levou vários anos para eu começar a namorar novamente, mas acabei encontrando e eventualmente casando com um homem legal. O amor da minha vida foi tomado, então eu aceitei o segundo melhor. Meu ex se casou novamente logo depois que eu. Estranhamente, ambos os nossos casamentos terminaram dois anos mais tarde com alguns dias de diferença. Nós retomamos o contato, e depois de muita hesitação concordamos em tentar novamente e fomos para a terapia. Funcionou, e nos casamos novamente 11 meses depois.

Leia também: Após traição, mulher decide se relacionar apenas com homens casados

Nós apenas conseguimos por 18 meses, depois, circunstâncias intensas da vida nos afastaram mais uma vez. E ainda assim, eu nunca acreditei por um minuto que não iriamos resolver isso. Já passamos por muita coisa para acabar agora. Uma coisa que ambos percebemos é que nós éramos, em parte, culpados por nossos problemas. Ambos notamos que as mesmas questões continuavam a surgir com novos parceiros , por isso tivemos de perguntar: ‘Quem é o denominador comum?’.

Escolher apreciar e focalizar em o que você ama sobre uma pessoa, e não no que incomoda sobre ele, é o que vai determinar em que direção o relacionamento irá. Nós precisamos complementar o outro, não tentar encontrar alguém que nós pensamos que irá nos completar. Um relacionamento bem-sucedido é composto de dois seres já inteiros, que estão dispostos a reconhecer suas falhas e trabalhar nelas.”

Angela, 48, Nashville, Tennessee

Trabalhe em você mesmo antes de ser feliz com outro

"Meu marido e eu estávamos casados ​​por 13 anos, embora tivéssemos nos separado pelo menos sete vezes ao longo de nosso casamento. Durante nossas muitas separações, ele viveu com amigos, em programas de igrejas e ministérios de reabilitação de recuperação de dependência.

Ele foi diagnosticado com vício em pornografia. Depois de anos lutando, e dezenas de milhares de dólares gastos em 15 terapeutas diferentes, eu não tive escolha a não ser desistir. Eu sabia que ele me amava, mas o egoísmo de seu vício superou sua capacidade de ser um marido melhor. Depois de muita auto-análise, nos separamos de verdade, e eu pedi o divórcio um ano depois. Ele não contestou nada, admitindo seus problemas e se desculpando.

Dois anos mais tarde, enquanto viajava a negócios, eu estava sozinha em minha suíte de hotel, e eu tive uma ‘conversa’ com Deus. Perguntei-lhe por que os homens com quem eu estava namorando acabavam sendo becos sem saída. Encontrei-me questionando a separação. Eu segui em frente muito rápido? Apenas colocar meus sentimentos e preocupações para fora ajudou, e a partir desse momento eu senti como se um peso tivesse sido arrancado. Achei que tudo o que acontecesse seria o plano de Deus.

Coincidentemente, no dia seguinte meu ex-marido me ligou e pediu para considerar a reconciliação . Honestamente, eu estava esperando para encontrar e me apaixonar por alguém completamente novo. Mas eu decidi seguir o que eu considerava ser um sinal. Depois de um mês de conversa, meu ex-marido e eu nos encontramos novamente no final de março de 2015. Nós namoramos por um pouco mais de um ano, ficamos noivos e nos casamos de novo.

Foi tão diferente na segunda vez, principalmente porque eu aprendi que contribuí para nossas questões conjugais também. A terapia que ambos recebemos durante nosso tempo de divórcio nos ajudou a perceber que temos de lidar com os nossos problemas de forma diferente, a fim de alcançar resultados diferentes”.

Leslie* (nome fictício), 49, Yonkers, Nova York

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.