Tamanho do texto

De acordo com um estudo recente, três a cada quatro mulheres enfrentam problemas como coceira, dor na relação e secura vaginal em silêncio

Apesar de nem todos os produtos anunciados como necessários para melhorar a saúde íntima da mulher realmente trazerem benefícios, é comum que muitas recorram a eles imaginando que estão fazendo bem à saúde. Isso acontece porque, muitas vezes, elas não têm as informações necessárias sobre como uma vagina saudável deve ser, e tentam disfarçar coisas naturais como o cheiro e a presença de secreções com perfumes, desodorantes e protetores de calcinha.

De acordo com estudo, três a cada quatro mulheres sofrem com secura na vagina e outros problemas
Shutterstock
De acordo com estudo, três a cada quatro mulheres sofrem com secura na vagina e outros problemas

Leia também: Mulher gasta R$ 11 mil em cirurgia após ouvir que genitália era grande demais

O problema, porém, parece ser maior do que isso. De acordo com um novo estudo promovido pela marca de produtos íntimos Vagisil e feito com mais de mil mulheres britânicas acima dos 18 anos, três a cada quatro mulheres sofrem com secura na vagina , coceiras e dores durante a relação sexual (problemas que se tornam ainda mais comuns durante a menopausa). Apesar de ginecologistas frequentemente aconselharem que elas busquem especialistas, 43% delas não procuram ajudas a respeito dos problemas relatados e um quarto delas afirma que não sabem a quem recorrer.

Leia também: Mulher com duas vaginas conta experiências e diz que se sentia uma aberração

Por que isso acontece?

Dois terços das mulheres consultadas pelo estudo afirmaram que gostariam de ouvir mais informações sobre as mudanças pelas quais o corpo passa ao longo da vida e sobre o que deve ser esperado. Isso mostra que um dos maiores causadores desse problema é justamente a falta de informação. Por isso, a ginecologista Vanessa Mackay afirma à publicação britânica “Daily Mail” que as mulheres devem falar sobre a região íntima. Segundo ela, cuidar do próprio corpo também é uma forma de empoderamento.

“É evidente que saúde íntima é algo que mulheres não se sentem confortáveis em falar sobre, embora a maioria esteja implorando por informações. Isso pode significar que algumas mulheres não têm ideia do que é normal e isso pode fazer com que elas ‘aturem’ problemas que são relativamente fáceis de tratar, como coceira ou secura vaginal”, diz a ginecologista.

Leia também: Pode depilar? Veja dicas de como cuidar da região íntima

Eduard Morris, da Royal College of Obstetricians and Gynecologists finaliza: “Frequentemente, problemas na vagina, como secura, podem ser facilmente tratados. Com uma variedade de tratamentos disponíveis, não há motivo para as mulheres sofrerem em silêncio”.