Tamanho do texto

Práticas relacionadas à submissão e à dominação se popularizaram com o sucesso de "Cinquenta Tons de Cinza" e podem fazer bem à saúde

Para muitos, tudo o que extrapola as barreiras do sexo convencional é considerado anormal. Porém, inspirados em obras como a polêmica saga “ Cinquenta Tons de Cinza ”, muitos casais foram vencidos pela curiosidade e passaram a incorporar as práticas de BDSM (Bondage e disciplina, Dominação e submissão, Sadismo e masoquismo) na vida sexual.

Praticar BDSM traz benefícios à saúde? Especialistas dizem que sim
Shutterstock
Praticar BDSM traz benefícios à saúde? Especialistas dizem que sim



Normalmente, a prática incorpora dominação e submissão ao sexo. De acordo com um estudo feito pela revista "Marie Claire", 85% dos americanos já experimentaram algumas “brincadeiras” envolvendo uso de máscaras, vendas e outros itens relacionados ao BDSM . Assuntos como esse, porém, ainda são considerados tabu por muita gente.

De acordo com especialistas e estudos, essas pessoas podem estar perdendo a oportunidade de beneficiar a própria saúde. 

Leia mais: Youtuber Pietra Prince diz gostar de sadomasoquismo e dá dicas de sexo sem tabus

Mente fica mais saudável

Enquanto alguns podem julgar adeptos do sadomasoquismo como pervertidos, uma pesquisa realizada pelo "The Journal of Sex Medicine" (periódico da medicina do sexo) descobriu que, na verdade, eles são menos neuróticos, mais extrovertidos, mais abertos a novas experiências e menos sensíveis à rejeição.

O psicoterapeuta e conselheiro sexual Ian Kerner comentou ao "Daily Mail"  que esse tipo de contato físico pode estimular o corpo de mais formas que o sexo “basicão”. Veja alguns dos benefícios que a prática pode trazer à saúde :

Queda nos níveis de estresse

Há duas razões pelas quais a prática de sexo mais “apimentado” pode ter esse efeito. De acordo com especialistas, o primeiro é que os praticantes sentem uma conexão única com a própria intimidade . O segundo é que, durante o sexo, eles alegam estar em um estado mental diferenciado.

Imunidade fortalecida

“Punições” e palmadas (frequentemente usadas por casais adeptos da prática) estimulam o fluxo sanguíneo no cérebro. O sangue “novo” distribui cada vez mais oxigênio e hormônios aos órgãos e músculos e esse processo de “limpeza” do corpo é a chave para fortalecer o sistema imunológico.

Sandra LaMorgese, especialista em sexo, explica: “A pele é o maior órgão do corpo e tem milhões de receptores. Quando alguém toca nossa pele ao abraçar, fazer massagem, fazer sexo, nós experimentamos uma sensação ‘cicatrizante’, tanto física quanto psicologicamente”.

Leia mais: "Cinquenta Tons de Cinza" impulsiona acidentes constrangedores em Londres

Concentração dos “hormônios do bem-estar” sobem

Muitos casais adeptos da prática se comunicam melhor que os que não gostam muito da ideia de incorporar brincadeiras mais ousadas à vida sexual . Especialistas aplicam que, com artifícios como a palavra de segurança (“senha” escolhida caso um dos dois queira parar o ato), o casal acaba falando mais sobre sexo.

A forte conexão com o parceiro proporcionada pelo BDSM influencia a liberação de hormônios como a serotonina, fazendo com que a pessoa se sinta feliz e cheia de energia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.