Tamanho do texto

Especialista fala sobre paquera cara-a-cara e em aplicativos de relacionamento. Também explica por que o questinamento deve ser evitado

Está querendo engatar um romance? Então é melhor ficar esperta na hora da conquista! É normal, quando se está conhecendo uma pessoa, fazer várias perguntas para saber mais da personalidade e do perfil de quem está interessada, mas é nessa fase preliminar que muitos amores são rompidos antes mesmo de começar. Sabe qual o motivo? Fazer uma pergunta errada.  

Descubra qual pergunta não deve ser feita na hora da conquista
Thinkstock/Getty Images
Descubra qual pergunta não deve ser feita na hora da conquista


Para elas, insegurança do homem atual atrapalha conquista

O primeiro passo da conquista  é quebrar o gelo e puxar um assunto que ajude a demonstrar interesse. Caso a busca pelo amor perfeito seja feita em aplicativos de relacionamentos, é fundamental fazer uso de perguntas para conseguir desenvolver uma conversa e tentar criar um vínculo, mesmo que virtual.

Muitas perguntas tidas como automáticas estão liberadas. Você pode, e deve, falar um "tudo bem?" ou "como você está?" como uma forma de parecer gentil na conversa. 

Quem utiliza aplicativos de relacionamento costuma fazer perguntas do tipo: “O que você está vestindo agora?”, “Como você é fisicamente?” ou “O que gosta de fazer no tempo livre?”. E as respostas podem aumentar ou diminuir interesse de ambos na hora da paquera.

Paquera, beijo, ciúmes, sexo: 50 homens e 50 mulheres falam sobre relacionamento

Se as perguntas causais estão liberadas, o que é probido deve estar relacionado a sexo, certo. Não, também não é nada disso. 

A temida pergunta

Por mais tentador que seja, o que não deve ser perguntado é: “O que você faz da vida?”. Pode até parecer esquisito, mas de acordo com a especialista em etiqueta e fundadora do aplicativo Beaumont Etiquette, Myka Meier, existe um motivo.

Em entrevista a revista "Cosmopolitan", a especialista explica que a pessoa que faz essa pergunta pode parecer oportunista e materialista. Será?!

"Recebo um monte de feedback nos cursos de namoro que dou, tanto de homens quanto de mulheres, que essa pergunta é quase como se você estivesse perguntando: 'então quanto dinheiro você tem na conta?’”, conta Myka.

Conselho de quem sabe

O conselho da especialista é optar por perguntas mais seguras, envolvendo temas como hobbies, amigos e família. Ela também alerta que as pessoas não devem ficar perguntando coisas íntimas, principalmente nos aplicativos de relacionamento. “Tenho certeza que ter essa atitude na hora da conquista não resulta em amor eterno”, finaliza.

Teste: Quem é você no jogo da conquista?


    Leia tudo sobre: amor
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.