Tamanho do texto

A neozelandesa se encontrou com diversos perfis de homens e até uma mulher. Um de seus encontros se tornou seu atual namorado!

Uma neozelandesa de 24 anos decidiu fazer um experimento social interessante. A jovem, chamada Melissa Brezinger, decidiu utilizar ao máximo o famoso aplicativo de relacionamento Tinder . No começo do mês de junho, ela estabeleceu uma meta a si mesma: marcar 30 encontros com possíveis pretendentes, em 30 dias.

"Dei match com a minha prima": história cômica em aplicativo de relacionamento

Melissa Brezinger, a neozelandesa que se aventurou em encontros de aplicativo por um mês
Reprodução
Melissa Brezinger, a neozelandesa que se aventurou em encontros de aplicativo por um mês


O objetivo dessa experiência, segundo ela mesma, era divertir os amigos e conseguir ao menos uma refeição grátis em meio a tantos encontros .

Algum tempo depois de completar a aventura, Melissa decidiu ainda documentá-la em um blog intitulado “30 days of Tinder”, ou “30 dias de Tinder”, em tradução livre. Nele, a neozelandesa da cidade de Wellington escreveu sobre todos os tipos de encontro – bons, ruins e estranhos – que teve com os 29 homens e uma mulher, com os quais saiu no mês de junho.

A ideia surgiu enquanto Melissa conversava com amigos, após ter um curto relacionamento com um pretendente do Tinder, por duas semanas. Ela brincou com a ideia de marcar 30 encontros em apenas um mês, e é claro que os amigos a encorajaram.

Em seu perfil do aplicativo, ela dizia gostar de cachorros, encontros – claro! – e homens com corpos de “pai de família” .

O primeiro homem com que ela se encontrou foi um tatuado, que dormia de conchinha como ninguém. O segundo foi um inglês. Além disso ela diz ter saído com um canadense poetas, personal trainers e até hipsters barbados. Mas sua experiência preferida, surpreendentemente até para Melissa, foi com a única mulher com a qual se encontrou. Ela já tinha visto a moça uma vez, em outra ocasião, e mesmo sem saber seu nome, tinha ficado interessada por “aquela mulher de cabelos escuros”.

Já o pior encontro ficou por conta de um fazendeiro que havia acabado de regressar à Nova Zelândia, após uma viagem pelo mundo. "Ninguém gosta de ter os peitos encarados durante uma hora por alguém que não consegue sequer manter uma conversa para evitar que a outra pessoa perceba os olhares”, explicou Melissa ao jornal britânico "Daily Mail" sobre o fracasso desta vez.

Chulé, propaganda enganosa e mais encontros bizarros marcados por aplicativos

A jovem ainda conta que a maioria dos encontros – alguns que aconteciam no mesmo dia –  terminou bem, ou ao menos resultou em uma amizade. E um deles terminou melhor ainda: tornou-se seu namorado, contornando as expectativas de Melissa: “Eu não entrei nesse experimento para achar ‘o homem certo’. Eu realmente não me via namorando no fim de tudo”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.