Tamanho do texto

Segundo dados de uma pesquisa recente da USP sobre sexualidade, 1 em cada 5 cinco brasileiras nunca se masturbou. Vamos acabar com esse tabu?

Você já se masturbou? E ainda, já pensou como isso pode ser uma forma de conhecer melhor seu corpo? A masturbação feminina ainda é um tabu muito grande e, para a maioria das mulheres, essas ideias causam certo desconforto e constrangimento. Segundo dados de uma pesquisa recente da USP sobre sexualidade, uma em cada cinco mulheres brasileiras  nunca se masturbou. 

5 benefícios da masturbação que talvez você não conheça

A masturbação feminina pode ser uma forma de autoconhecimento
Pinterest
A masturbação feminina pode ser uma forma de autoconhecimento

Em entrevista ao Delas, a ginecologista e terapeuta sexual Glene Rodrigues comenta que esse tabu em relação à masturbação feminina está diretamente ligado à falta de educação sexual, tanto na família quanto na escola. 

Ela ainda acrescenta que o as meninas começam a manipular o próprio corpo e descobrir o prazer de forma natural e espontânea ainda na infância, partir dos quatro anos de idade. Mas com o tempo, a mulher acaba sendo reprimida de várias formas e por vários setores da sociedade. O  sexo , assim como a masturbação, é um tema que não está excluído dessa repressão. 

O incentivo ao toque é praticamente nulo. Por isso, muitas mulheres já adultas desconhecem o próprio corpo e sentem culpa e vergonha por estimular o  prazer . Pense, quantas vezes você e suas amigas comentaram sobre o prazer que sentem sozinhas? Ou então, trocaram dicas de como melhorar a prática?

Por que a masturbação feminina continua um tabu?

Autoconhecimento 

De acordo com Rita Wu, especialista em Sex Hacking, que é a ideia de entender como o corpo funciona para a partir disso propor novas formas de praticar a sexualidade, o desconhecimento sobre o corpo é realmente muito grande entre as mulheres. 

Essa falta de conhecimento também está ligada à ideia de que o prazer é atingido apenas com o outro e, muitas vezes, somente pela penetração. A distância em relação à genitália também afasta a mulher do prazer individual. Consequentemente, é tão comum não saber qual parte tocar e como fazer isso, ressalta a especialista. 

Rita ainda comenta a importância de entender como o corpo funciona para que novos pontos de estímulo ao prazer sejam descobertos.  "Existem várias partes além do clitóris que podem ser estimuladas, dando prazer e ajudando na própria saúde", explica. 

Como os corpos são diferentes entre si, a masturbação feminina acaba sendo uma ferramenta importante para o autoconhecimento .  É com o toque que a mulher consegue sentir o formato, a textura e temperatura da vagina, entendendo o próprio corpo. E, a partir disso, ela consegue testar qual a melhor forma de atingir o prazer e chegar ao orgasmo, sozinha ou na companhia de outra pessoa.

Modelo Amber Rose revela segredo da pele viçosa: masturbação

Na prática

A ideia é tentar esquecer os tabus e preconceitos e explorar o corpo. Escolha um momento seu e permita-se se conhecer melhor. Também é possível se masturbar durante a relação sexual, enquanto o parceiro ou a parceira acaria e beija seu corpo, por exemplo, você pode se estimular. 

Também ao Delas, a sexóloga Fátima Protti já falou sobre o tema e ressaltou que não há uma regra ou limite para a masturbação feminina . Entretanto, é preciso ficar atenta pois se o ato virar algo mecânico e se masturbar até sem ter vontade ou nenhum desejo pode ser sinal de compulsão masturbatória. Fora isso, a prática é bem-vinda. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.