Tamanho do texto

O implante subcutâneo e o DIU de cobre e o hormonal estão entre os métodos contraceptivos mais eficazes. Saiba mais sobre eles antes de decidir

Existem muitas maneiras de prevenir gravidez: camisinha , pílula anticoncepcional , diafragma , DIU, entre muitos outros. Cada um dos métodos contraceptivos tem suas vantagens e desvantagens, cabendo ao médico e paciente chegarem a um acordo de qual é o preferido e mais indicado a cada mulher.

Os métodos contraceptivos de longa duração, como o próprio nome já diz, têm uma ação prolongada  e podem ser alternativas para as mulheres que não se lembram ou se incomodam ao tomar todos os dias a pílula anticoncepcional .

DIU é um dos três métodos contraceptivos de longa duração
Thinkstock/Getty Images
DIU é um dos três métodos contraceptivos de longa duração

As opções deste tipo de contracepção são três: implante subcutâneo , dispositivo intrauterino de cobre – conhecido como DIU –, e o sistema intrauterino(SIU), que também é chamado de DIU com hormônio .

Como estes métodos não dependem que a mulher lembre de tomá-las ou de qualquer outro fator que impeça o uso diário, eles são considerados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) os mais eficazes – e o implante subcutâneo está em primeiro lugar na taxa de eficácia.

“O uso de qualquer um deles é reversível: seu uso pode ser interrompido em qualquer momento se a mulher desejar ser mãe”, esclarece a ginecologista Cristina Guazzelli, professora da Escola Paulista de Medicina. Ela afirma que a fertilidade feminina volta ao normal logo após a retirada do implante subcutâneo, DIU ou SIU.

+  Casais que usam métodos contraceptivos fazem mais sexo, diz estudo

Saiba mais sobre o funcionamento de cada um deles:

Implante subcutâneo

Um bastonete flexível com quatro centímetros de comprimento e feito de EVA é colocado sob a pele do braço, explica Cristina. Ele libera o etonogestrel, um hormônio sintético, derivado da progesterona. “O hormônio é liberado gradualmente no organismo, com o intuito de inibir a ovulação”, diz a ginecologista sobre seu funcionamento.

A duração da contracepção do implante cutâneo é de três anos e a taxa de eficácia na prevenção da gravidez é muito alta. Segundo pesquisas, apenas uma mulher engravidou a cada 2 mil que usaram o implante por um ano.

DIU e SIU

Ambos são dispositivos inseridos no útero, na cavidade intra uterina, com a finalidade de impedir a gravidez e são conhecidos popularmente como DIU. O processo de colocação deles pode ser realizado em um consultório por um ginecologista. “Eles tornam o útero um ambiente hostil aos espermatozóides e, assim, evitam a chegada deles às trompas”, afirma Cristina.

O dispositivo de cobre não tem hormônios e impede a gravidez porque é um metal espermaticida e tem a duração com função contraceptiva por até 10 anos no corpo da mulher.

14 dúvidas comuns sobre o DIU esclarecidas

O SIU, chamado de DIU hormonal, libera progesterona de forma gradativa, por cinco anos no útero. “Ele altera a secreção do colo do útero, impedindo a penetração dos espermatozoides”, fala a ginecologista.

De acordo com Cristina, os dois métodos com hormônio – SIU e implante – podem alterar a menstruação “produzindo um sangramento irregular com uma tendência a diminuição”.

É importante procurar um médico antes de escolher qual o melhor método contraceptivo. 

    Leia tudo sobre: gravidez
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.