Tamanho do texto

Ao contrário do que muita gente imagina, estudo alemão aponta que a presença de filhos na relação não afeta de forma significativa a qualidade da vida sexual do casal

Uma pesquisa alemã realizada pela Universidade de Munique entrevistou três mil pessoas entre 25 e 42 anos e pediu em várias ocasiões para que eles dessem nota para a própria vida sexual.

Analisando as respostas, o estudo concluiu que o momento de maior satisfação com a vida sexual foi registrada quando o relacionamento completou um ano.

De acordo com a pesquisa, depois de um ano de relacionamento, a satisfação sexual começa a cair
Thinkstock/Getty Images
De acordo com a pesquisa, depois de um ano de relacionamento, a satisfação sexual começa a cair

Surpreendentemente, a existência de uma criança na relação não pareceu afetar muito a qualidade da vida sexual, de acordo com os entrevistados.

"Nós percebemos que ter um filho não teve papel importante na satisfação sexual do casal, o que é notável, já que a pesquisa mostrou que a frequencia sexual é fortemente influenciada pela existência de uma criança", observou a autora do estudo Claudia Schmiedeberg.

O estudo relatou que em vez da frequência de relações sexuais, discussões, brigas e divergências de opiniões foram a raiz do problema: vários casais inclusive admitiram que o aumento nas brigas estavam relacionados à diminuição da atividade sexual.

Os pesquisadores sugerem que sugeriram que o pico de satisfação com a vida sexual registrado depois de um ano porque os novos namorados levam um tempo para aprender o que cada um gosta e precisa, sexualmente falando.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.