China proíbe vídeos de pessoas comendo como forma de entretenimento
Reprodução/Youtube
China proíbe vídeos de pessoas comendo como forma de entretenimento


Nas redes sociais, vídeos em que pessoas comem sem parar têm ficado cada vez mais populares. A China, no entanto, proibiu estes conteúdos para evitar o desperdício de alimentos. Com isso, vídeos do tipo já estão sendo retirados dos sites chineses, como o Douyin da TikTok, informou a Vice News.

De acordo com a nova lei, que consta no site do Congresso da China, multas de até 100 mil yuans (cerca de R$ 83 mil) podem ser emitidas para plataformas de mídia e editores que disseminam conteúdo com "grandes quantidades de comida ou comida em excesso" ou qualquer desperdício de comida.

De acordo com o NY Post, restaurantes que tentarem induzir os consumidores a pedirem refeições exageradas que causam "óbvio desperdício" podem ter que pagar até 10 mil yuans (cerca de R$ 8 mil). Já negócios que "causam sério desperdício no processo de produção de alimentos" terão que pagar multa de até 50 mil yuans (cerca de R$ 40 mil).

De acordo com a Vice, com as novas medidas, alguns restaurantes, como é o caso de um em Changsha, uma cidade na província de Hunan, tem um menu que apresenta porções proporcionais ao peso corporal dos clientes. Para isso, o estabelecimento até disponibilizou uma balança na entrada para que os clientes pudessem ter certeza de quanto pesam.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários