Tamanho do texto

Suzanne Shorrock quis participar de uma competição de fisiculturismo, mas tinha apenas quatro meses para se preparar; ela conseguiu o segundo lugar

É verdade que resultados de academia não vêm rápido e requerem muito esforço, mas uma mãe de 48 anos decidiu se dedicar ao máximo e, em apenas quatro meses, conseguiu se tornar   fisiculturista .

Leia também: Com 97 anos, vovó fisiculturista inspira jovens e é homenageada nos EUA

Suzanne Shorock virou fisiculturista para para participar de uma competição e acabou conseguindo o segundo lugar
Reprodução/Divulgação
Suzanne Shorock virou fisiculturista para para participar de uma competição e acabou conseguindo o segundo lugar


Ao jornal local “Shropshire Star”, Suzanne Shorrock, de Shrewsbury, no Reino Unido, ela contou que decidiu se tornar fisiculturista em janeiro, quando se inscreveu para uma competição que aconteceria em abril, o que lhe dava apenas quatro meses para atingir seu objetivo.

Suzanne, que é dona de uma academia para mulheres e mãe, precisou lidar com gerenciar o estabelecimento, cuidar das duas filhas e ainda arrumar tempo para fazer exercícios e preparar suas refeições, nas quais era necessário que ela contasse calorias.

Leia também: Em três meses longe da academia, corpo de fisiculturista muda completamente

“Eu sempre me mantive em forma e obviamente ter uma academia ajudou muito. Mas, normalmente, nós focamos em perder peso e ganhar condicionamento, então fazer isso definitivamente me fez sair da minha zona de conforto. Eu não fazia ideia do quanto seria difícil. Tive que me desdobrar entre a academia e minhas clientes, fazer musculação e, claro, ser a mãe das minhas duas meninas, de 12 e 17 anos - foi muito complicado”, disse ela ao veículo.

Mas o resultado valeu à pena. No fim de abril, Suzanne competiu na UK Pure Elite Fitness Model Championships, um campeonato nacional para fisiculturistas amadoras, e ficou em segundo lugar.

Dieta e rotina

Para ganhar peso e massa magra, Suzanne precisou passar por uma rígida dieta. Ela fazia seis refeições por dia, nas quais precisava contar a quantidade calorias, proteínas e carboidratos que ingeria.

Seu menu diário normalmente incluía iogurte, frutas e leite de amêndoas no café da manhã; batata doce, brócolis, abacate e espinafre no almoço; peixe, arroz e verduras verdes no jantar. Entre uma refeição e outra, ela tomava shakes de proteína.

Leia também: "Como ficar em forma acabou com meu casamento de 9 anos", conta mulher

Além disso, a hoje fisiculturista eliminou completamente açúcares e álcool de sua dieta e sua rotina de exercícios dava um dia de "descanso" a cada dois dias de treino intenso. Mas, mesmo nos dias de "descanso", ela fazia sessões, ainda que menos intensas, de cardio e de abdominais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas