Tamanho do texto

Emagrecer de forma muito rápida, como prometem algumas dessas dietas, até é tentador, mas pode fazer mais mal do que bem à saúde; cuidado!

Tem dieta da lua, da sopa e tantas outras malucas. Às vezes o que ganha a fama são alguns alimentos, apontados como milagrosos, como óleo de coco. Outros viram os grandes vilões e as pessoas acham que devem eliminá-los da dieta a qualquer custo, como já aconteceu com glúten e lactose. Enfim, dietas da moda surgem a todo momento com lindas promessas de emagrecimento . O problema é que muitas fazem mais mal do que bem à saude e podem até fazer você engordar. 

Leia tudo sobre dieta aqui!

Dietas da moda podem fazer mais mal do que bem à saúde; cuidado
Creative Commons
Dietas da moda podem fazer mais mal do que bem à saúde; cuidado


Alguns cardápios dessas dietas da moda que prometem resultados rápidos são extremamente restritivos, na casa das mil calorias por dia, por exemplo. E cortar tanta coisa da alimentação para chegar a esse número pode até fazer emagrecer em um primeiro momento, mas esse emagrecimento pode não ser real e também nem um pouco saudável. Uma dieta restritiva, como a dieta detox, deve ser seguida por, no máximo, três dias , por exemplo.  

Para deixar tudo isso ainda mais claro, o jornal britânico "Independent" lista 5 bons motivos para você desistir agora de seguir essas tais dietas . Veja também opções saudáveis para perder peso

1. Você não perde peso, perde água

O ponteiro da balança pode até ter regredido algumas casas, mas isso não representa uma perda de peso real. Com as dietas radicais o que acontece é que a primeira eliminada pelo corpo é água. 

2. Você pode ter deficiência de nutrientes

Como a quantidade e até a variedade de alimentos é reduzida nesse tipo de dieta milagrosa, é grande o risco de deixar de lado nutrientes importantes para a saúde. Mais uma vez, você pode até emagrecer porque vai reduzir a quantidade de calorias ingeridas, mas pode colocar seu bem-estar em risco. Não vale a pena. 

A nutricionista Rhiannon Lambert cita, por exemplo, que uma alimentação com baixa quantidade de cálcio e vitamina D pode resultar em problemas nos ossos. Falta de ferro e vitamina B12 leva a fadiga e anemia. Já uma deficiência de sódio e potássio no corpo pode comprometer funções nervosas e musculares e até comprometer o funcionamento do coração. 

3. Você não vai perder gordura, vai perder músculos

É isso que mostra uma pesquisa da Maastricht University, na Holanda. Para o estudo, 25 pessoas foram dividas em dois grupos. O primeiro passou 5 semanas consumindo 500 calorias por dia e outro fez uma dieta um pouco mais maleável, de 1250 calorias por dia, por 12 semanas. No final, participantes dos dois grupos perderam a mesma quantidade de quilos. Mas as semelhanças param por aí. 

Ao analisar a composição corporal dos voluntários, os pesquisadores notaram que o grupo da dieta mais restritiva perdeu 1.5 kg de músculo, enquanto o outro grupo perdeu apenas 0.5 kg de músculo. Ou seja, a massa magra é preservada em dietas menos restritivas. 

4. Seu metabilismo ficará mais lento

Estudos apontam também que as dietas para emagrecer rápido podem deixar seu metabolismo mais lento e fazer o corpo estocar gordura. De acordo com pesquisa do começo deste ano da Universidade de Cambrigde, ao receber pouco alimento, o corpo entra em estado de alerta e, com isso, reduz a velocidade de metabolismo e faz um estoque de energia, já prevendo uma falta desse combustível. Veja mais detalhes no link abaixo. 

Leia também: Efeito contrário - dieta para emagrecer rápido pode fazer você estocar gordura

5. Você pode ganhar todo o peso perdido e até mais

Isso não é mito. É praticamente impossível seguir uma dieta muito restritiva por muito tempo e, quando for "liberado" para comer normalmente, a tendência é recuperar todo o peso ou até mais. 

O que você DEVE fazer para emagrecer

A maioria dos nutricionistas e profissionais de saúde concordam que o melhor caminho para emagrecer não está nas dietas da moda, mas, sim, na reeducação alimentar . E um número considerado interessante se você é daqueles que gostam de acompanhar a evolução na balança é eliminar aproximadamente 500 gramas por semana. É possível chegar a esse número sem ser radical. 

Alimentação equilibrada é chave para emagrecer de forma saudável
shutterstock
Alimentação equilibrada é chave para emagrecer de forma saudável


Também ao jornal "Independent", Rhiannon Lambert dá quatro dicas do que você deve fazer para entrar em forma com saúde: 

1. Atenção às compras

Alimentos processados, industrializados e as comidas prontas são normalmente recheadas de sódio, açúcar e conservantes. Isso fará com que o organismo tenha picos de açúcar no sangue e, consequentemente, sinta mais fome pouco depois de comer. 

A dica é tentar trocar esses itens por alimentos naturais e também incluir mais frutas, legumes e vegetais no cardápios, que são ricos em fibras e bons nutrientes e não produzem esses picos de açúcar. 

2. Faça uma dieta balanceada e variada

Cada refeição, de acordo com a nutricionista, deve conter tipos variados de alimentos. Com isso, você estará ingerindo os tipos de nutrientes necessários para seu bem-estar. Lembre-se de montar um prato que contenha carboidrato, proteína, fibras e gorduras boas. Coloque cor no prato! 

Aqui também vale a dica anterior, de prestar atenção à qualidade dos alimentos. Não adianta colocar cor só com guloseimas e frituras, por exemplo. Mais uma vez, opte por alimentos naturais e boas fontes de energia, como os carboidratos complexos. Os chamados de simples, como açúcar refinado e farinha branca, são responsáveis pelos picos de glicemia que resultam em acúmulo de gordura e pouca saciedade. Já os complexos - como pães e massas integrais - apresentam baixo índice glicêmico, são absorvidos de forma mais lenta pelo corpo e dão sensação de saciedade por mais tempo. 

3. Faça exercícios variados

Treinos de resistência são conhecidos por ajudar quem quer ganhar músculos e os  alta intensidade ajudam a queimar calorias. Segundo a especialista, para conquistar a boa forma é interessante mesclar os tipos de exercícios. 

4. Lembre-se de descansar

Além de deixar de lado as dietas da moda , é preciso também cuidar do descanso para entrar em forma com saúde. A falta de sono pode aumentar a produção de um hormônio chamado grelina, conhecido como hormônio da fome, e diminuir a quantidade de leptina, hormônio que ajuda a manter a sensação de saciedade. Portanto, nada de abrir mão de uma boa noite de sono. Profissionais de educação física ainda dizem que é no descanso que o corpo se recupera da atividade física e, nesse tempo, os músculos se desenvolvem. Dar uma pausa, no final das contas, faz bem para o corpo e para a mente. 

    Leia tudo sobre: dieta