Tamanho do texto

Além de proteger animais, ser vegano pode trazer benefícios para a saúde

Se tornar vegano pode parecer algo muito difícil de alcançar para algumas pessoas. Mesmo que um indivíduo concorde com os princípios da prática alimentar, às vezes, é quase impossível para ele não comer um pedaço de filé mignon ao almoçar em um bom restaurante, por exemplo. Para aqueles que simplesmente não conseguem mudar tão bruscamente as refeições e desistir de certos hábitos alimentares, existe uma alternativa.

Leia também: Crianças podem seguir uma dieta vegana?

Ser vegano em parte do tempo é a solução para quem não consegue abandonar totalmente a carne
shutterstock
Ser vegano em parte do tempo é a solução para quem não consegue abandonar totalmente a carne

Se você pensa em experimentar o veganismo, pode ser a hora de tentar uma nova estratégia de alimentação: ser vegano  aos poucos, começando em apenas parte do tempo. A atriz Kate Hudson revelou recentemente que segue este plano alimentar. Em entrevista ao site norte-americano “Self”, ela afirmou que tenta seguir uma dieta sem carne na maior parte do tempo, mas que faz exceções dependendo da ocasião.

A atriz contou que tenta comer uma grande variedade de alimentos que a fazem se sentir bem e que está por dentro de um monte de métodos diferentes de alimentação. O objetivo é ver como eles impactam o seu corpo. Ela já tentou o  veganismo , a dieta Paleo, o pescetarianismo e o vegetarianismo. Depois de todas as experiências, ela acredita que se sentiu melhor – e teve a melhor pele de sua vida - quando – ela era vegana.

Entretanto, como ainda não conseguiu deixar 100% a carne de lado, tenta cortar o alimento em pelo menos dois ou três dias da semana. "Se você gosta de carne, ter uma dieta baseada em plantas pode ser ótimo para você. Por que não se alimentar predominantemente de vegetais e, de vez em quando, comer um bife? Eu meio que tente experimentar isso e gostei", diz ela.

A atriz Kate Hudson é vegana em parte do tempo
shutterstock
A atriz Kate Hudson é vegana em parte do tempo

A atriz costuma colocar bastante feijão, espinafre e couve em sua alimentação, mas sua refeição vegana favorita é um "hambúrguer" totalmente sem carne que é feito por uma lanchonete de Los Angeles para ter o mesmo gosto do alimento. "É uma das melhores coisas, é tão bom, é loucura como eles conseguiram fazer isso – tem o gosto de um hambúrguer normal", diz Hudson.

Leia também: 10 Comidas saudáveis que são unanimidade para os nutricionistas

O veganismo

Mais do que uma forma de se alimentar, o veganismo é um estilo de vida em que a conduta é excluir qualquer produto ou alimento que tenha origem animal ou que utilize testes em animais. Ou seja, o principal fundamento do veganismo é a ética e a exclusão de qualquer forma de exploração animal, na alimentação ou em qualquer outro aspecto.

O vegano exclui roupas com peles de animais , como seda, lã e penas. Além disso, ele tem que fazer mudanças em seu lazer, como parar de frequentar zoológicos, parques aquáticos com animais marinhos, rodeios, touradas, caça, pesca. Ele também precisa prestar atenção quando for comprar cosméticos, produtos de higiene pessoal, objetos como cortinas, tapetes, cobertores, travesseiros, pincéis, medicamentos e vacinas para ter certeza que eles não tenham sido testados em animais

De acordo com a Dra. Caroline Morena Nelli, nutricionista da Estima Nutrição, a carne é uma das principais fontes de proteína e, consequentemente, o alimento onde conseguimos encontrar os aminoácidos essenciais necessários para o crescimento e manutenção do organismo. É fonte de muitas vitaminas e minerais, auxilia na prevenção de anemias, funções do sistema nervoso, crescimento e manutenção muscular.

A carne pode ser substituída por alimentos vegetais ricos em proteínas
shutterstock
A carne pode ser substituída por alimentos vegetais ricos em proteínas

Apesar de ter essa importância, a carne pode ser substituída na alimentação por opções vegetais. “Deve-se ressaltar que a carne não é a única fonte de proteína e vitaminas, portanto, podemos substituí-las por alimentos vegetais ricos em proteínas como cogumelos, tofu, soja, feijão, além de ter o auxílio da suplementação vitaminica e protéica”, explica a nutricinista.

Para começar uma dieta vegana, é necessário tomar alguns cuidados. “A atenção deve estar voltada para a adequação de micronutrientes principalmente, Vitamina B12, Cálcio, Ferro, zinco e ômega 3”, afirma Dra. Caroline Morena Nelli. Também é importante associar sempre alimentos ricos em Vitamina C e betacaroteno para melhorar a absorção do ferro e reduzir alimentos que contenham ácido fítico e caseína, pois os mesmos atrapalham na absorção do zinco pelo organismo.

Leia também:  Especialistas analisam riscos da dieta vegana

Além disso, é necerrário aumentar o consumo de fontes cálcio como bebidas vegetais fortificadas. “A suplementação de vitamina B12 deve ser realizada através de cápsulas ou gotas e o aumento de ômega 3 através de oleaginosas como castanhas e sementes como linhaça. Lembrando que a flora intestinal também deve ser avaliada e tratada para ocorrer uma melhora na absorção dos nutrientes”, afirma a nutricionista.

Benefícios do veganismo 

Caroline afirma que pessoas veganas possuem uma tendência menor em desenvolver obesidade pois se importam mais com a escolhas dos alimentos. Elas também terão menos chances de desenvolver doenças cardiovasculares devido aos níveis de colesterol serem menores neste grupo.

Indivíduos veganos possuem menos chance de desenvolver obesidade
shutterstock
Indivíduos veganos possuem menos chance de desenvolver obesidade

“Eles terão redução no desenvolvimento de hipertensão devido ao estado antioxidante ser melhor, favorecendo a redução de aterogenicidade e redução de desenvolvimento de diabetes tipo 2, pois a glicemia e insulinemia são mais baixas em jejum”, afirma a nutricionista. Além disso, ela diz que veganos terão redução no desenvolvimento de síndrome metabólica e nas chances de desenvolvimento do câncer “devido à redução no consumo de substâncias químicas associadas ao tratamento da carne e o consumo de verduras legumes e frutas ser maior auxiliando no aumento de antioxidantes”.

Apesar de alguns estudos mostrarem que a dieta vegana reduz os índices de obesidade devido a boa escolha alimentar e a redução do IMC, a nutricionista explica que, por mais que o individuo vegano não consuma fontes alimentares de origem animal, o mesmo pode consumir alimentos muito ricos em açúcares e gorduras. “Até porque a obesidade não se baseia apenas no consumo de gordura animal, por isso, o balanceamento da dieta e a real mudança de hábitos alimentares devem ser levadas em consideração". 

    Leia tudo sobre: Dieta
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.