Tamanho do texto

A americana Madelyn chegou a ter um corpo com apenas 6,5% de gordura, mas continuava infeliz e teve graves danos à saúde e vida social

Nem sempre o dito “corpo perfeito”, magro e musculoso, equivale a uma saúde perfeita. O caso da modelo fitness , Madelyn Moon, de Colorado, nos Estados Unidos, prova isso

Mulher elimina metade de seu peso e se dedica a competições fitness

O antes e depois da model fitness que sofreu em busca de um corpo perfeito inexistente
Reprodução/Daily Mail
O antes e depois da model fitness que sofreu em busca de um corpo perfeito inexistente

Em busca do corpo perfeito , a americana Madelyn, de 25 anos, estava se preparando para uma competição de fisiculturismo e teve graves danos a sua saúde. Ela chegou até a parar de menstruar.

Ela contou ao site britânico “Daily Mail” que passava quase todo o tempo de sua vida cuidando de seu corpo. Madelyn malhava duas vezes por dia e tinha uma dieta super restritiva: “Eu comi apenas frango, clara de ovo, aveia, manteiga de amendoim, brócolis e proteína em pó, por cinco meses”.

Devido a essa rotina e preocupação apenas com o corpo ela acabou se isolando de amigos e familiares, perdendo muitas amizades. Madelyn confessou que se sentia constantemente com fome, medo e infeliz. Ela ainda declarou ter os piores gases do mundo, por conta de toda a proteína ingerida.

A americana ainda revelou realidades dos bastidores de modelos que participam de competições consideradas “fitness”: “A competição é travestida de saudável, mas muitas das meninas envolvidas sofrem com distúrbios alimentares.” A modelo chegou a parar de menstruar enquanto se preparava para sua segunda competição, mostrando que não estava saudável.

Esses hábitos alimentares e de exercícios eram incentivados por “coaches de dieta”. Um deles inclusive chegou a pedir para que ela evitasse comer frutas por seis meses.

+  Youtuber fitness luta contra câncer e compartilha sua jornada emocionante

Quando adolescente ela já odiava seu corpo, foi então que começou a fazer dieta e exercícios de forma compulsiva e a participar de competições, para finalmente ter o corpo de seus sonhos.

A modelo chegou a ter apenas 6,5% de gordura corporal. Mas mesmo assim, odiava seu corpo, não importa como ele estivesse.

Anorexia: "Achava que minhas coxas não caberiam em um banco", relata jovem

Hoje, aos 25 anos, ela mudou. Ao invés de escrever em um blog sobre alimentação e exercícios, ela deixou de se preocupar com um corpo perfeito, está comendo normalmente e até parou de fazer exercícios. Além disso ela criou um podcast para motivar outras pesssoas contra esses distúrbios.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.