Projeto é voltado para mulheres e o surf
Divulgação
Projeto é voltado para mulheres e o surf

Valorizar a energia do feminino por meio de práticas de surf e vivências corporais: esse é um dos objetivos do projeto Águas de Gaia, que chega à Ubatuba (SP) nesta quinta-feira (16). Realizado pelo Instituto Incentivar,  o projeto oferecerá vivências gratuitas para as mulheres da região.

As práticas serão realizadas na Praia Perequê-Açu, próximo a Escola Municipal de Surf, de 16 a 19 de junho no período da manhã. As vagas são limitadas e mulheres interessadas podem se inscrever pelas redes sociais do projeto. Além das vivências, o projeto oferece alimentação e cuidadoras para que as mulheres com filhos possam participar: “Essa é uma maneira de trazermos para o projeto as mães, que dificilmente têm um momento só delas no dia a dia”, explica Cristiane Brosso, idealizadora do projeto.

Inclusão social, conscientização ambiental e saúde integral são os pilares do Águas de Gaia. Além da atividade física, a metodologia favorece o autoconhecimento, acolhimento e compaixão. O processo envolve a consciência da mulher sobre sua profunda interligação com a natureza, reconhecendo que o oceano é um importante sistema de apoio à vida.

Mais que uma aula de surf, o projeto transforma a ligação das mulheres com o mar e traz para as vivências mulheres de todas as idades e com diferentes histórias de vida e superação. “A ideia é levar esse resgate do feminino para o meio do oceano, trazer força e conexão para essas mulheres”, afirma Cris, que é um exemplo de transformação. “Saí da depressão pós-parto devido ao surf e vi muitas mulheres atingirem a saúde mental e até mesmo deixar relacionamentos abusivos devido à prática do esporte. Ele nos traz força”, conta.

De mulheres para mulheres

O projeto é totalmente feito para e por mulheres: desde a coordenação até as instrutoras e cuidadoras. “Ensinamos para mulheres que já têm familiaridade com o mar a metodologia Águas de Gaia. A ideia é que elas continuem oferecendo as aulas e as vivências mesmo depois que nós formos embora”, completa Cristiane.

O projeto teve início em 2021 e já passou por São Gonçalo do Amarante (CE), Guarapari (ES), Serra Grande (BA) e São Sebastião (SP), somando mais de 600 mulheres atendidas. “A ideia é levar o surf para mais mulheres, e de graça, o que foi possível graças à Lei Paulista de Incentivo ao Esporte e todo o apoio das Prefeituras e apoiadores que permitiu levarmos isso para mais mulheres ao redor do Brasil”, conclui Cris.

Cada mulher ou ONG que tenha interesse em participar, pode entrar em contato pelas redes sociais oficiais do projeto: aguas.de.gaia, no Instagram, onde há um link direto para as inscrições.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários