Obra de Aurélia Rubião que estará presente na mostra
Everton Ballardin
Obra de Aurélia Rubião que estará presente na mostra


Com curadoria de Ana Paula Cavalcanti Simioni, 'Mulheres artistas: nos salões e em toda parte' , exposição que ficará em cartaz entre os dias 04 de junho a 30 de julho, na galeria  Arte132 , na Moema, em São Paulo, reúne obras de pintoras da primeira e segunda metade do século XX.

O que mais chama atenção na exposição é o fato de que muitas das artistas presentes ficaram no anonimato e poucas chegaram a status alcançados por pintores homens. Em paralelo à mostra, Ana Paula publica o livro  Mulheres Modernistas , pela Edusp. 


Lacuna na documentação

Ana Paula Simioni mergulhou no universo de artistas modernistas e também das que as precederam para entender por que há uma lacuna de documentação, sobretudo no que diz respeito às acadêmicas.

Em sua pesquisa, a especialista descobriu um número de mais de 212 mulheres que participaram dos salões de arte no início do século passado e percebeu que a maioria das que tiveram algum tipo de reconhecimento tinha apoio de homens e eram conhecidas como filhas, esposas ou musas - sempre associadas aos homens.

"Esses lugares discursivos – a esposa, a filha, a aluna – terminam por fixá-las em condições de seguidoras, vítimas da 'influência' de seus 'mestres', isto é, seus maridos, pais, professores – não por acaso, sempre figuras masculinas”, analisa Ana Paula. 

Obra de Regina Liberalli Laemmert
Everton Ballardin
Obra de Regina Liberalli Laemmert


Obras

A mostra apresenta 30 obras, dentre elas as de  Aurélia Rubião, Bellá Paes Leme, Dorothy Bastos, Georgina de Albuquerque, Haydéa Lopes Santiago, Helena Pereira da Silva Ohashi, Laurinda Pacheco de Carvalho Ribeiro, Lucília Fraga, Miriam Chiaverini, Lucci Citty Ferreira, Regina Liberalli Laemmert, Salma Mogames, Sinhá d’Amora, Yvone Visconti Cavalleiro  e também de  Anita Malfatti , que enfrentou questões de gênero e polêmicas envolvendo o escritor Monteiro Lobato. 

Vale destacar a gravurista Dorothy Bastos, que tem 7 obras exibidas na galeria, produzidas nos anos 1950.

Dorothy foi por duas vezes ganhadora do Prêmio Leirner de Arte Contemporânea, em 1959 e 1962, mas acabou, posteriormente, sendo pouco lembrada pela historiografia e associada pela crítica à condição de aluna de Lívio Abramo. 


Serviço

'Mulheres artistas: nos salões e em toda parte'
Curadoria: Ana Paula Simioni
Local: Arte132
Endereço: Av. Juriti, 132, Moema, São Paulo
Abertura: 04 de junho, das 11h às 17h
Período expositivo: 04 de junho até 30 de julho
Horários de visitação: de segunda a sexta, das 14h às 19h. Sábados, das 11h às 17h
Valor: Entrada gratuita


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários