papel Herança Garcia
Reprodução/Instagram
papel Herança Garcia



Na noite desta terça-feira (12) membros do Movimento Negro do Piauí realizaram um protesto em frente ao Theatro 4 de Setembro, no Centro de Teresina, contra a atuação da ex-BBB Gyselle Soares no papel de Esperança Garcia, a primeira advogada negra do país, na peça "Uma escrava chamada Esperança".

Respondendo às críticas, a ex-BBB declarou que se considera "de todas as cores" e que, como atriz, pode viver qualquer papel. "Eu me considero todas as cores, sem cor, um ser humano com coração que pode sentir tudo, de todo mundo. Estamos no mundo, somos todos iguais, nossa pele não tem cor, nosso coração não tem cor, não podemos nos definir assim", comentou de acordo com o portal Mundo negro. 

Leia Também

Em entrevista à TV Clube, o diretor da peça, Valdson Braga, disse que a atriz não pode ser discriminada por conta da interpretação de um papel. 


Esperança Garcia foi uma mulher negra escravizada, que escreveu uma carta em 6 de setembro, para o governador da capitania do Piauí, denunciando situações de violência que ela, as companheiras e seus filhos sofriam na fazenda de Algodões- região próxima a Oeiras, a 300 quilômetros da futura capital, Teresina.

Em setembro de 2017, 247 anos depois da escritura da carta, através de solicitação da Comissão da Verdade sobre a Escravidão Negra do Piauí, Esperança Garcia foi reconhecida pela OAB/PI como a primeira advogada piauiense.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários