Larisa Latynina, Melânia Luz, Sandra Pires, Jaqueline Silva e Alice Coachman
Reprodução
Larisa Latynina, Melânia Luz, Sandra Pires, Jaqueline Silva e Alice Coachman

Os jogos olímpicos nasceram na Grécia, por volta de 700 a.C, para homenagear os deuses gregos. O campeonato sempre foi dominado por homens e as mulheres só começaram a competir em 1900, na segunda edição dos jogos modernos. Em uma lenta caminhada, elas ganharam mais espaço na competição e 2012 foi o ano em que as mulheres foram presentes em todas as modalidades pela primeira vez. 


Desde 1920, o Brasil já podia inscrever atletas brasileiras para competir, mas ainda não tinha delegação feminina. Foi só em 1932 que a jovem Maria Lenk, lenda da natação feminina, estreou as mulheres do país nos jogos olímpicos. 

A Olimpíada de Tóquio começa nesta sexta-feira, 23, e já promete ser única! Com um ambiente bem tecnológico, atletas entrando para a história e sendo também a despedida de craques como Formiga , a edição tem tudo para ser um grande sucesso. Confira 9  mulheres que fizeram história nas Olimpíadas.

Charlotte Cooper 

Charlotte Cooper em 1900
Reprodução
Charlotte Cooper em 1900


A tenista britânica foi pioneira nos jogos olímpicos. Isso porque ela foi a primeira mulher a levar uma medalha de ouro para casa, na edição de 1900, a mesma em que as mulheres competiram pela primeira vez.


Sendo parte das 22 mulheres presentes em meio a mais de 900 homens daquela edição, aos 30 anos ela ganhou duas medalhas nas categorias simples e duplas mistas. Em 1908 ela realizou outro feito fora das Olimpíadas: se tornou a mulher mais velha a vencer o torneio de Wimbledon, aos 37 anos. Cooper jogou nas quadras até os 50 anos de idade e morreu em 1966.


Larisa Latynina

Larisa Latynina nas Olimpíadas
Reprodução
Larisa Latynina nas Olimpíadas


A ucraniana é ex-ginasta soviética e hoje, com 86 anos, ainda está em primeiro lugar no pódio de mulheres com mais medalhas olímpicas. Entre 1956 e 1964 ela conquistou 18 medalhas, sendo 9 de ouro. 


Em uma comparação geral entre os atletas que já participaram dos jogos olímpicos, na categoria de maiores medalhistas a ucraniana perde apenas para Michael Phelps, nadador que conta com 28 medalhas. A atleta se aposentou em 1966. 


Melânia Luz

Melânia Luz era atleta do São Paulo
Reprodução
Melânia Luz era atleta do São Paulo


Fazendo história nas Olimpíadas de 1948, Melânia Luz foi a primeira mulher negra brasileira a competir nos jogos. A velocista era especialista nos 200 metros rasos. Luz não chegou a ganhar medalha nas Olimpíadas, mas foi medalhista de ouro no Campeonato Sul-Americano de Atletismo. 


Ela morreu em 2016, aos 88 anos. Em 2020, a atleta recebeu o título de Emérita da Confederação Brasileira de Atletismo. 


Laurel Hubbard

Laurel Hubbard é a primeira mulher trans a competir nas Olimpíadas
Reprodução
Laurel Hubbard é a primeira mulher trans a competir nas Olimpíadas


Os jogos olímpicos de 2020 também entraram para a história com a primeira atleta trans! Laurel Hubbard é neozelandeza, halterofilista e vai competir no levantamento de peso acima de 87 kg. 

Você viu?


A atleta tem 43 anos e fez a transição de gênero em 2013, aos 35. A participação de Hubbard acendeu muitos debates na competição e ela recebeu algumas críticas por parte de outros atletas conservadores. 


A dupla Sandra Pires e Jaqueline Silva

Sandra Pires e Jaqueline Silva recebendo as medalhas de ouro
Reprodução
Sandra Pires e Jaqueline Silva recebendo as medalhas de ouro


A dupla brasileira estreou a modalidade do vôlei de praia com outro, literalmente. O esporte foi incluso nas Olimpíadas em 1996, mesmo ano em que as voleibolistas conseguiram o primeiro lugar no pódio. Elas também foram os nomes que estrearam as brasileiras nas medalhas de ouro, antes disso, o máximo conquistado pelo país nos jogos foi o quarto lugar. 


Sandra Pires é carioca e foi reconhecida pela Federação Internacional de Voleibol (FIVB) como a melhor atleta do mundo na modalidade dos anos 90. Jaqueline Silva, também do Rio de Janeiro e atualmente é treinadora. 


Liselott Linsenhoff

Liselott Linsenhoff durante a competição de hipismo
Reprodução
Liselott Linsenhoff durante a competição de hipismo


A alemã Liselott Linsenhoff foi a primeira mulher medalhista de ouro no adestramento no hipismo. Ela também fez outro feito histórico: foi a primeira mulher a ganhar em uma disputa com homens nos jogos olímpicos. 


A campeã morreu aos 71 anos, em 1999. No total, a atleta conquistou cinco medalhas olímpicas, sendo duas de ouro, duas de prata e uma de bronze.


Alice Coachman

Alice Coachman praticando o salto
Reprodução
Alice Coachman praticando o salto


A estadunidense Alice Coachman foi a primeira mulher negra na história das Olimpíadas a ganhar um ouro, em 1948. A atleta era especialista em salto em altura e desde criança já treinava improvisando cordas e panos para os saltos. 


A artista foi homenageada nos Estados Unidos, mas na época, a segregação racial ainda era forte no país. Na cerimônica, pessoas brancas e negras sentaram de lados distintos. Ela morreu aos 90 anos, em 2014.


Enriqueta Basilio

Enriqueta Basilio em 1968
Reprodução
Enriqueta Basilio em 1968


A mexicana Enriqueta Basilio era atleta e nas Olimpíadas de 1968, foi a última pessoa a carregar a tocha olímpica, sendo a primeira mulher a acender a pira dos jogos. Basilio competia na pista e era especialista na corrida de 80 metros com barreira. Na época, a atleta tinha apenas 20 anos. Ela morreu em 2019, aos 71. 


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários