Para as mulheres que estão enfrentando a pandemia do novo coronavírus (Sars-coV-2) nas fases de gestação e puerpério, a falta de informações sobre a nova doença pode ser ainda mais assustadora. Embora, os bebês e gestantes não estejam no grupo de risco para a Covid-19, dúvidas sobre transmissão vertical e como ter os cuidados básicos com o recém-nascido nesse novo contexto sempre aparecem.  Maria Cecília Erthal, ginecologista especializada em reprodução humana assistida, à frente do Vida – Centro de Fertilidade, tira algumas dúvidas comuns neste momento.  Transmissão vertical
shutterstock
A rede de apoio é fundamental para enfrentar a doença e ter o parceiro ao lado ajuda a lidar melhor com a situação

Para as mulheres que estão enfrentando a pandemia do novo coronavírus (Sars-coV-2) nas fases de gestação e puerpério , a falta de informações sobre a nova doença pode ser ainda mais assustadora. Embora, os bebês e gestantes não estejam no grupo de risco para a Covid-19 , dúvidas sobre transmissão vertical e como ter os cuidados básicos com o recém-nascido nesse novo contexto sempre aparecem.

Maria Cecília Erthal, ginecologista especializada em reprodução humana assistida, à frente do Vida – Centro de Fertilidade, tira algumas dúvidas comuns neste momento.

Transmissão vertical

"Para o Covid-19, ainda não temos evidência alguma da transmissão vertical, nem durante a gestação, passando através da placenta, por essa permeabilidade que ela teria a alguns agentes infecciosos, nem durante o trabalho de parto e nem no parto propriamente dito. Na amamentação também não temos nenhuma comprovação científica de que isso possa acontecer por meio do leite. Então, as chances de se transmitir o coronavírus na gravidez estão em zero, já que não se comprovou, cientificamente, nenhum tipo de transmissão durante a gestação. "

Amamentação

"A amamentação é totalmente permitida, porque não existe nenhuma evidência que se passe o Covid-19 pelo leite materno, mas os cuidados em relação à respiração da mãe, que é a principal forma de contágio, por meio das gotículas úmidas que saem pela respiração e o contato tão próximo, deste bebê com a mãe, pode facilitar realmente esta contaminação. O que se aconselha é a higienização das mãos constante, poucas pessoas lidando com esse bebê e todas as que lidam com ele fazendo a higienização das mãos e utilizando a máscara, e a mãe, principalmente, na hora do aleitamento materno com o uso da máscara"

Cuidados da gestante

"Os cuidados que a gestante que tem Covid-19 deve tomar são: ficar em casa; fazer uma boa alimentação, se hidratar bastante; a qualquer sintoma diferente, procurar o médico. Então, ela deve ficar muito atenta aos sintomas. Se alimentar bem, tomar suplementos, por exemplo, a vitamina D e C, que melhoram a imunidade, melhoram a resposta do organismo aos agentes infecciosos, é importantíssimo. Mas o mais importante de tudo é ficar atento aos sinais e sintomas, a qualquer sinal de piora da doença, como por exemplo, a falta de ar, febre alta, tem que procurar o médico, se for o caso, ter uma internação para controlar melhor o quadro clínico daquela paciente"

"Para que a gestante evite a infecção de Covid-19, o melhor é que se faça exatamente aquilo que vem sendo preconizado para todos: distanciamento social; higienização correta das mãos; evitar ficar colocando a mão na face, na boca, nos olhos; o uso das máscaras; tudo isso tem que continuar deste jeito"

Grupo de risco?

"A Covid-19 é especialmente grave em alguns grupos de risco: como pessoas acima de 60 anos, pessoas que têm comorbidades, não mostrando nenhuma gravidade maior para crianças e para recém-nascidos. Desta forma, não podemos afirmar que ela é mais perigosa para eles. Mas evitar o contágio é, sem dúvida, o melhor cenário. Então, a mãe que está com Covid-19, no final da gestação, precisa redobrar os cuidados quando tem o bebê, para não passar a virose para ele. Lavar sempre as mãos antes de manusear o bebê e usar máscaras o tempo todo são medidas essenciais".

    Veja Também

      Mostrar mais