A britânica Maria Murray era corretora e começou a fotografar quando se tornou mãe. Entre seus clientes, teve até membros da realeza

Ele acabou de nascer, não abriu nem os olhinhos direito e... clic! Já foi fotografado. Nos primeiros meses do bebê, os pais estão tão encantados com a chegada de um novo ser que querem registrar tudo, começando um álbum de fotos o quanto antes. Era essa a ideia da britânica Maria Murray, 36 anos, logo após o nascimento da filha.

Bebê fotografado por Maria Murray: troca de carreira pela maternidade
Reprodução/Maria Murray
Bebê fotografado por Maria Murray: troca de carreira pela maternidade


Mas as fotografias, feitas em uma loja especializada, a decepcionaram. Sabendo que poderia fazer registros mais encantadores, Maria resolveu partir para a ação e, com uma câmera em mãos, fotografou a recém-nascida Isabelle, hoje com 10 anos, seguindo a própria sensibilidade. Nunca mais parou de fotografar bebês.

Gorros de lã: fragilidade e bem-estar dos bebês
Reprodução/Maria Murray
Gorros de lã: fragilidade e bem-estar dos bebês
Até então, Maria era corretora de hipotecas e fotografar não passava de um hobby. Quando as fotografias de Isabelle começaram a se tornar conhecidas localmente, ela percebeu que tinha algo mais em mãos. Passou a receber vários pedidos para fotografar os bebês de outras famílias e sua fama começou a se espalhar – junto ao apelido de “baby whisperer” (“encantadora de bebês”), dado pelos pais das crianças fotografadas.

Leia também
- Anne Geddes volta ao início com "Beginnings"
- Como tirar boas fotos do seu filho
- Inclusão social pela fotografia


Maria afirmou ao site de notícias britânico “Daily Mail” que, embora fotografe até adolescentes, o trabalho com bebês e crianças de até cinco anos foi o que mais lhe trouxe sucesso. Hoje, calcula-se que a fotógrafa comande mais de 250 sessões por ano, com o preço médio de 1.200 euros – mas chegando a 10.000 euros. Até membros da realeza britânica já foram clientes da fotógrafa. Mas qual seria o segredo de tanto sucesso?

Segundo Maria, durante a sessão, o essencial é que os pais estejam calmos
Reprodução/Maria Murray
Segundo Maria, durante a sessão, o essencial é que os pais estejam calmos
Paciência, ao que tudo indica. Maria ficou conhecida por conseguir capturar o momento exato do sorriso de um bebê, mesmo daqueles com pouquíssimo tempo de vida. “Os pais costumam dizer que sou muito boa em ler um bebê”, declarou a fotógrafa ao jornal britânico “The Sun”, para na sequência ressaltar que o importante mesmo é o estado de espírito dos pais durante a sessão: “Se eles não estão calmos, o bebê tampouco estará”.

Uma das marcas registradas da fotógrafa é o uso de gorros e cestas nas composições. A ideia surgiu quando um cliente levou um chapéu para uma sessão. Para Maria, o uso dos objetos ressalta quão pequeno e delicado é um bebê. Esta fase, tão transitória, merece mesmo um clic.

Leia também
10 dicas para fotografar seu bebê

Paciência para capturar as expressões: eles não merecem um clic?
Reprodução/Maria Murray
Paciência para capturar as expressões: eles não merecem um clic?

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.