Americana Kayley Olsson e colegas fizeram o que, pra muitos, era impossível

Uma cabeleireira de Waterloo, cidade do estado norte-americano de Iowa, emocionou milhares de pessoas com um relato que mostra como a empatia pode transformar o dia de uma pessoa com depressão.

Americana Kayley Olsson atendeu a jovem com depressão e não apenas a devolveu seu cabelo, mas a autoestima também
Facebook/Kayley Olsson/Reprodução
Americana Kayley Olsson atendeu a jovem com depressão e não apenas a devolveu seu cabelo, mas a autoestima também

Kayley Olsson estava em um dia normal de trabalho quando recebeu em seu salão uma jovem de apenas 16 anos que se sentia inútil de todas as formas por conta de uma depressão severa que já lidava há alguns anos. O problema fez com que ela não se sentisse capaz nem ao menos para escovar o cabelo , o que causou grandes danos aos fios, que começaram a formar grandes nós.

A jovem só levantava da cama para ir ao banheiro, mas precisava de uma mudança porque em poucos dias teria de voltar para a escola e tirar a foto para o anuário, algo tradicional nos Estados Unidos. A ideia da garota, que não teve a identidade revelada, era que a cabeleireira apenas cortasse tudo, já que ela não tinha condições de suportar a dor de desembaraçar os fios, mas Kayley fez o que, para muitos de nós, seria o impossível.

Leia também: Mulheres e as fases do ciclo reprodutivo são retratadas em ensaio fotográfico

Foram oito horas de trabalho em um dia e mais cinco horas no dia seguinte, mas, junto com alguns colegas de trabalho, a profissional conseguiu entregar não apenas um cabelo saudável e super na moda para aquela jovem em depressão, mas, principalmente, conseguiu entregar um sorriso para ela. Confira o relato completo, que foi divulgado na página de Kayley no Facebook na última terça-feira (8):

“Hoje, eu tive uma das experiências mais difíceis com uma cliente que vou manter como anônima, uma garota de 16 anos que tem enfrentado uma depressão severa há alguns anos. Chegou ao ponto em que ela se sentia tão para baixo e tão inútil que nem mesmo conseguia escovar os próprios cabelos. Ela me disse que só levantava para usar o banheiro.

Essa jovem vai voltar para a escola em algumas semanas, mas tem fotos da escola hoje. Quando entrou, ela nos disse para simplesmente cortar tudo, porque não podia lidar com a dor de desembaraçá-lo – ela se chamou de inútil por isso. Honestamente, quebrou meu coração, e tentamos tudo o que pudemos para manter o cabelo dessa criança para ela!

No final do dia, quero que isso seja uma lição para as pessoas. A SAÚDE MENTAL é algo, afeta pessoas em todo o mundo e de todas as idades! PAIS, levem a sério, não apenas afastem seus filhos e lhes diga para superar algo que, legitimamente, eles não podem. Uma CRIANÇA NUNCA deve se sentir tão sem valor para nem querer escovar os cabelos.

Depois de estar aqui 8 horas ontem e 5 horas hoje, finalmente fizemos essa linda garota sorrir e sentir como se ela valesse alguma coisa! Suas últimas palavras para mim foram: ‘Eu vou realmente sorrir para as minhas fotos hoje. Você me fez sentir como eu mesma de novo.’”

Leia também: Mulheres gordas provam que tamanho não deve impedir conquistas

O relato de Kayley teve, em menos de quatro dias, mais de 68,5 mil compartilhamento, 166 mil reações no Facebook e quase nove mil comentários. A ação dessa cabeleireira mostra não só como a aparência também importa para quem sofre com a depressão, mas, principalmente, como um olhar mais carinhoso e compreensivo para as pessoas que sofrem com doenças mentais pode, de fato, transformar o dia e a vida delas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.