Para especialista, técnicas de contorno e maquiagem fresh sempre foram usadas por profissionais e, o ideal, é que sejam complementares uma à outra

O contorno facial ficou bastante conhecido na internet e virou tendência entre as influenciadoras de beleza depois que Kim Kardashian postou diversas imagens e tutoriais em suas redes sociais mostrando ser adepta ao método, mesmo antes de lançar a marca de maquiagem com vários tipos e tons diferentes para criar o contorno perfeito.

Leia também: Saiba como fazer o make durar mais no rosto

Técnicas de maquiagem, como contorno ou tendências mais naturais, sempre foram usadas por profissionais da indústria de beleza
shutterstock
Técnicas de maquiagem, como contorno ou tendências mais naturais, sempre foram usadas por profissionais da indústria de beleza

Essa técnica de maquiagem usa tonalidades escuras e claras para criar uma ilusão de sombras que altera as formas do rosto. Desse modo, é possível deixar o rosto com formatos mais definidos e que fogem das características naturais, como afinar o nariz ou deixar os ângulos mais marcados.

Em um contexto histórico, o contorno já era bastante usado por maquiadores profissionais nos camarins de estúdios cinematográficos e por artistas de teatro. A popularização aconteceu no fim do século XIX juntamente com a produção em massa de cosméticos e produtos de beleza.

Mas o contorno é mesmo ideal?

O curador oficial da SD MAKE•UP, Duda Molinos, acredita que a técnica acaba criando regras para deixar todos os rostos iguais e esconde a autenticidade da beleza natural . “O contorno é uma manobra drástica para solucionar problemas que não deveriam ser solucionados. É difícil montar uma estratégia que valha para todas as mulheres, porque cada uma tem um tipo de rosto.”

Para o especialista, esse método pode ser muito mais útil para as influenciadoras digitais do que no dia a dia. “Funciona muito em blogueiras, porque elas usam luz artificial e frontal para gravar os tutoriais de beleza, mas muda completamente a perspectiva quando aplicada para o cotidiano, em uma luz natural e na correria de todos os dias.”

Ele também afirma que, apesar dessa maneira de se maquiar receber muitas críticas, ela ainda resiste ao longo dos anos. “A técnica de contorno ainda vai persistir, desde sempre foi usada, é válida e não pode ser indiscriminada porque não vai funcionar para todos.”

Então, como fugir dessa técnica que se tornou moda? Na realidade, não é preciso se livrar totalmente do contorno, mas saber usá-lo como algo complementar à uma maquiagem mais natural e fresh. “Técnicas de maquiagens leves, como strobing, não são substitutas ao contorno, elas são propostas complementares. Não há um confronto entre as duas técnicas.”

Ele explica que, dessa forma, você consegue fazer uma make mais simples, mas também suficientemente contornada. “Ao mesmo tempo que você escurece para diminuir, clareia para aumentar, ou seja, esses processos dependem um do outro.”

O outro método mencionado, chamado strobing, consiste em utilizar iluminador em certos pontos do rosto, como as maçãs do rosto, por exemplo, dando uma aparência mais saudável e natural, diferentemente das sombras que podem ser criadas com os contornos. Além desse, existem outras técnicas para criar makes fresh  que também se baseiam na iluminação.

Leia também: Inspire-se em quatro looks de maquiagem para o fim de semana

Como equilibrar as técnicas?

“O contorno é aplicado nessas partes côncavas, como têmporas e pescoço. O princípio é dar essa ilusão de claro e escuro. Já o iluminador capta a luz externa e contenta onde foi aplicado. Por isso, deve ser aplicado em partes convexas: maçã do rosto, testa e nariz”, diz o profissional.

Dicas dos locais onde aplicar o contorno e onde iluminar com a maquiagem
Reprodução/Pinterest
Dicas dos locais onde aplicar o contorno e onde iluminar com a maquiagem

Mas atenção: o especialista indica conhecer mais o próprio rosto para saber como fazer a maquiagem ideal. “Antes de se preocupar se o rosto é quadrado ou redondo e procurar uma fórmula pronta na internet, é melhor fazer um estudo mais detalhado sobre seu próprio rosto, com ajuda de profissionais da beleza e até dermatologistas.”

Para fazer uma make que equilibre tanto o contorno quanto o strobing é preciso maneirar na quantidade de cosméticos. A recomendação é diminuir principalmente a quantidade de base utilizada para cobrir a pele e, também, apostar em produtos mais leves. “Bases mais fluidas e que não cobrem 100% dos poros são as melhores opções. A princípio, o objetivo é uma cobertura que cubra apenas de 30% a 40% da pele.”

Se a sua pele for oleosa, aposte também em um iluminado leve. “Pela luz às vezes parece que a pele está oleosa a partir da quantidade de iluminador colocado, por isso, algo mais leve favorece mais”, explica o maquiador.

Duda Molinos acredita que manchas, acne e outros problemas também conseguem ser solucionados com menos produtos sobre a pele. “Pelo menos 50% dos problemas do rosto podem ser resolvidos com uma maquiagem mais leve.”

Ao tratar de cores, ele afirma que todas podem ser usadas quando falamos de maquiagem fresh, mas tons mais fáceis de serem usados no dia a dia, como marrom, nude, cobre e dourados, são mais recomendados exatamente por serem mais práticos e simples para fazer combinações.

“Se a pessoa for branca ou negra vão ter cartelas diferentes de tons, mas tentar trabalhar com os neutros é o ideal nesses casos.” E uma dica preciosa é usar e abusar de rímel: “Capriche na máscara para os cílios, porque as pessoas não o consideram como maquiagem e realmente acreditam que os cílios com rímel são naturais.”

Sasha Meneghel é uma das adeptas da make fresh
Reprodução/Instagram/@sashameneghel
Sasha Meneghel é uma das adeptas da make fresh


Leia também: Guia de maquiagem para pele negra

Autoestima também importa

O maquiador ainda menciona que, para ele, os assuntos que envolvem beleza devem ser abordados de modo amplo e inclusivo. “A maquiagem é uma forma muito grande da nossa imagem e é bom perceber como a escolha da maquiagem certa faz na percepção.”

Assim, técnicas que valorizem a beleza e as formas mais naturais do rosto podem ajudar na autoestima e a reafirmar a personalidade. “A pessoa tem mais contato com a própria realidade quanto valoriza seus traços naturais e consegue ficar confortável com seu próprio rosto da forma que estiver”, diz Duda.

“Dependendo de como a pessoa se veste ou se maquia, ela reafirma seu estilo pessoal, por isso técnicas de maquiagem natural são mais valorizadas ou todo mundo vai ficar com o mesmo rosto”, continua o profissional.

Mas calma, não é preciso descartar todos os seus produtos por conta disso. Se você gosta de fazer contorno, está tudo bem. “Isso varia muito de acordo com a personalidade da pessoa. Se ela pede uma maquiagem mais natural, com menos quantidade de produto, ou uma make mais elaborada.”

“Na realidade, a melhor opção é se aceitar e parar de lutar contra a evolução do próprio corpo, aceitando sua imagem e fazendo o que acha melhor para se sentir melhor consigo mesma”, finaliza.

    Leia tudo sobre: maquiagem
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.