Aproveite mais a varanda

Antes usadas apenas para se ter melhor vista, as sacadas estão hoje totalmente integradas aos apartamentos

Lila de Oliveira, iG São Paulo

Os novos projetos de apartamentos vêm tratando, cada vez mais, as varandas como extensão da sala de estar. Mesmo em edifícios que não se encaixam no chamado “alto padrão”, estes espaços passaram a fazer parte da área social, muitas vezes sem que o limite entre os dois ambientes seja notado.

Leia também:  A planta certa para a sacada

Com a ajuda de vidros incolores, que correm por todo o comprimento da sala sem nenhuma estrutura aparente, a varanda é facilmente isolada do ambiente externo e ligada ao restante da casa sem prejuízo à vista. “Trata-se da solução mais moderna, porém é também a de maior custo”, afirma a arquiteta Marcitta Fogaça. Ela explica que há ainda a opção de fechar a área com cortinas plásticas incolores, de menor custo. No entanto, a alternativa não permite que se tenha o melhor conforto térmico e acústico.

Veja abaixo a galeria de fotos com 30 incríveis projetos de varandas:

Materiais e revestimentos

Na hora de fazer o acabamento da varanda, dois fatores principais devem ser levados em conta: a integração com a área interna e a exposição ao ar que vem de fora. Assim, não se deve utilizar os mesmos materiais da sala se eles não oferecerem resistência a agentes naturais como chuva, sol, poluição, vento, calor e umidade.

Indica-se o uso de materiais de alta durabilidade e fácil manutenção , isto é, pouco porosos, como porcelanato natural, emborrachados, fibras e couros sintéticos e alumínio. Pisos muito polidos podem se tornar escorregadios e, por isso, não são bem-vindos, assim como madeiras que não tenham recebido tratamento para água.

No projeto de interiores para um apartamento no Alto da Boa Vista, bairro da Zona Sul de São Paulo, a arquiteta Fernanda Marques mostra que algumas adaptações na decoração interna tornam possível a harmonização com a varanda. “O tom off white do piso do living se manteve no terraço, mas ali optei por materiais naturais, que não escorregam. As cores escolhidas para tecidos e madeiras também permaneceram semelhantes”, diz.

Fatores externos influenciam na escolha dos materiais

Divulgação
Antes de escolher o mobiliário da varanda, identifique as características do ambiente local

As varandas localizadas em coberturas de edifícios geralmente têm uma configuração que se assemelha a varandas de casas, isto é, há espaços cobertos e descobertos. Nos casos em que não há isolamento com vidro, o cuidado com a escolha dos materiais deve ser ainda maior. E se o apartamento estiver localizado em áreas litorâneas, os fatores que influenciam a durabilidade e a manutenção são mais numerosos. A luz do sol é mais intensa e a areia e a maresia podem causar danos irreparáveis.

Em um apartamento na Riviera de São Lourenço, no litoral Norte de São Paulo, por exemplo, a arquiteta Débora Aguiar optou por um piso com porcelanato na cor areia, apropriado para áreas externas por não reter calor e ser muito resistente à abrasão e a intempéries. O baixo índice de reflexão da luz solar das pastilhas brancas determinou a sua aplicação na fachada. “A madeira também foi amplamente utilizada, pois não absorve calor, mantendo o local sempre fresco”, conta.

Projetos multifuncionais

A fumaça e o cheiro gerados nas churrasqueiras, presentes na maioria das varandas dos apartamentos mais novos, também pedem materiais resistentes e de fácil limpeza. O granito, por exemplo, está presente em grande parte das pias de espaços gourmet. Em seu projeto na Riviera, Débora Aguiar preferiu o marmoglass para a bancada da pia, usada pelo dono da casa para o preparo da comida. Uma bancada em tora, acoplada ao marmoglass, serve de apoio para os pratos e copos e convida os amigos do proprietário a degustar suas especialidades. A parede de fundo recebeu revestimento cerâmico com figuras de peixe em relevo. Para viabilizar o projeto, a arquiteta eliminou o segundo dormitório de funcionários. Dessa maneira, ficaram definidos diferentes ambientes no mesmo terraço.

Iluminação

Divulgação
O projeto integrado de varanda, feito por Leonardo Junqueira, explora o contraste entre o branco e a madeira

Como a varanda faz parte da fachada do empreendimento, normalmente os pontos de iluminação no teto já vêm definidos. Para complementar, pontos focais podem ser embutidos em gesso ou instalados em diferentes locais para valorizar painéis, bancadas, prateleiras e nichos e destacar objetos e plantas, que também podem ser iluminadas por espetos de luz posicionados nos próprios vasos.

“Essa iluminação pontual cria uma atmosfera mais aconchegante, que é muito importante para o bem-estar e o conforto durante as horas de pouca luz natural”, afirma Débora. “O ideal é criar diferentes possibilidades para um mesmo espaço, pois se quiser ter um ambiente de festas, você poderá combinar as luzes diretas e indiretas, e em momentos mais relax, você pode ficar só com a iluminação de plantas, lanternas com velas e arandelas”, complementa Marcitta Fogaça.


Serviço

Débora Aguiar Arquitetos
Rua Bento de Andrade, 660, Jardins – São Paulo (SP)
Tel: (11) 3889-5888

Fernanda Marques Arquitetos Associados
Rua Ramos Batista, 198, cobertura, Vila Olímpia – São Paulo (SP)
Tel: (11) 3848-3464


Saiba mais:

Quanto custa uma reforma

Iluminação e espelhos bem posicionados ampliam apartamentos

Prédios curiosos ao redor do mundo


Siga o iG Delas pelo Twitter e assine nossa newsletter para ficar por dentro das novidades.


    Leia tudo sobre: arquiteturavaranda

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG