A empresa está sendo processada por armazenar dados pessoais dos usuários e dos aparelhos, como intensidade de vibração e temperatura

Você é fã de brinquedos eróticos para apimentar a relação sexual? O que faria se descobrisse que eles estão te monitorando? De acordo com o “The Chicago Tribune”, o pesadelo se tornou realidade. Na semana passada, a We-Vibe, criadora de vibradores e outros brinquedos sexuais, entrou em um acordo para pagar aproximadamente R$ 11,6 milhões após ser acusada de coletar “dados altamente íntimos e sensíveis” dos clientes sem consentimento algum.

Um dos brinquedos eróticos da We-Vibe foi acusado de
Reprodução/Instagram We-Vibe
Um dos brinquedos eróticos da We-Vibe foi acusado de "espionar" a vida dos usuários

Leia também: Conheça os tipos de vibradores para ter mais prazer com penetração

O “vibrador espião” é o “We-Vibe 4” e entra na lista de brinquedos eróticos  “inteligentes”. Via bluetooth, ele se comunica com o celular e pode ser controlado por um aplicativo. De acordo com o anúncio do produto, “com ele, casais podem se conectar de novas e excitantes formas, estando no mesmo cômodo ou até em continentes diferentes”. 

O aparelho também permite que os usuários compartilhem mensagens e façam chamadas de vídeo, mas, de acordo com os dois processos movidos contra a companhia canadense, conteúdos como data, hora e endereço de e-mail estavam sendo guardados nos servidores da empresa sem que os usuários soubessem.

Leia também: Brinquedos sexuais melhoram a relação do casal, aponta pesquisa

Segundo o “The Guardian”, o aplicativo também coletava dados sobre a temperatura do dispositivo e sobre a intensidade das vibrações. Tais dados, combinados às informações pessoais dos usuários, acabam revelando hábitos sexuais deles.

Sendo assim, a companhia concordou em pagar cerca de R$ 9,3 milhões a pessoas que usaram o aplicativo e outros R$ 2,3 milhões para quem comprou apenas o vibrado r. Com isso, cada pessoa que usou tanto o app quanto o dispositivo pode receber até R$ 31 mil. Ainda de acordo com o veículo, cerca de 300 mil pessoas compraram o vibrador e outras 100 mil utilizaram o aplicativo para fazê-lo funcionar.

Leia também: Veja dicas de segurança para usar e cuidar de seus brinquedos sexuais

Esclarecimentos

Enquanto o acordo segue aguardando a aprovação de uma corte em Illinois, a matriz da marca de brinquedos eróticos, Standard Innovation, se pronunciou sobre o caso. “Na Standard Innovation, nós levamos a privacidade e os dados dos usuários a sério. Nós elevamos nossos padrões de privacidade , aumentamos a segurança do aplicativo e providenciamos aos usuários mais opções no conteúdo que eles compartilham, e continuamos a trabalhar com especialistas em segurança e privacidade para melhorar o app”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.