Tamanho do texto

Chamada em italiano de "il privilegio del bianco", regra de não vestir a cor branca na presença do Papa pode ser quebrada apenas por sete pessoas no mundo

Quer fazer parte de um dos clubinhos mais exclusivos do mundo da moda? Basta tornar-se uma rainha ou princesa católica. Nesta segunda-feira (18), em visita ao Vaticano, na Itália, a princesa Charlene de Mônaco foi uma das únicas sete pessoas no mundo a ser autorizada a vestir um look da cor branca na presença do Papa.

Com um casaco longo branco, luvas também brancas e sapatos nude, a princesa encontrou-se com o Papa Francisco junto com o marido, o príncipe Albert de Mônaco.

Chamada em italiano de "il privilegio del bianco" (ou "o privilégio do branco", em português), a regra católica de não poder vestir a cor na presença de um pontífice só pode ser quebrada por rainhas e princesas católicas - que é o caso de Charlene e outras seis mulheres da realeza pelo mundo.

LEIA TAMBÉM
Mulheres fora do padrão vestem roupas "proibidas" em campanha de grife americana
Vestidos usados no Globo de Ouro viram piada nas redes sociais
Vítima de ataque com ácido é novo rosto de grife de moda indiana


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.