Tamanho do texto

O Juca, Jogos Universitários de Comunicação e Artes, de 2016 foi o primeiro de Maju Leite e ela nos contou a experiência

Muitas faculdades brasileiras tem a tradição de participar uma vez por ano dos famosos Jogos Universitários, aonde elas competem entre si diversas modalidades esportivas. Times, torcidas, baterias e estudantes passam alguns dias em outra cidade, geralmente do interior, para esse evento. Durante o feriado de Corpus Christi aconteceu o JUCA, Jogos Universitários de Comunicação e Artes, em Sorocaba, São Paulo. 

Os quatro dias contam com festas e jogos
Reprodução Facebook
Os quatro dias contam com festas e jogos

Foram quatro dias de jogos que contaram com a participação de oito universidades: PUC - São Paulo, Anhembi Morumbi, Belas Artes, Cásper Líbero, ECA-USP, Mackenzie, Metodista e PUC-Campinas. O evento é o mais esperado pela maioria dos jovens do ensino superior. Para Maju Leite, não era diferente. Esse ano a estudante, da Faculdade Cásper Líbero, teve sua primeira participação e nos contou sobre a experiência inesquecível que teve: 

"A ansiedade foi presente desde a saída do ônibus em São Paulo. Finalmente estava indo para o JUCA! Desde o começo estava na energia do jogos, cantando as músicas da faculdade e me divertindo ao lado dos meus amigos. Chegar em Sorocaba e entrar no alojamento, onde eu e mais centenas de casperianos iríamos passar os próximos dias, foi conflituoso e ao mesmo tempo divertido. A fila estava enorme e havia uma correria pela pela busca do melhor lugar para instalar a barraca, mas nada cessou a ansiedade e a curiosidade do que ainda estava por vir.

As escolas se tornam alojamentos e as barracas se espalham por quadras e salas de aula
Arquivo pessoal
As escolas se tornam alojamentos e as barracas se espalham por quadras e salas de aula

Vieram então reclamações de Sorocabanos pelo barulho, patrulhamento da polícia militar, banho gelado, filas e frio, mas nada disso conseguiu estragar o prazer e a satisfação de estar lá, tudo era simplesmente ignorado. 

Maju torcendo na arquibancada durante um jogo de futebol de campo
Arquivo pessoal
Maju torcendo na arquibancada durante um jogo de futebol de campo

Ser uma entre tantos do "Inferno Vermelho", como somos conhecidos, fez com que esses quatro dias se tornassem inesquecíveis e recompensadores de todo o estudo e esforço realizado para fazer parte disso. Estar na bancada vestindo a camisa da Aguante Rojo, nossa torcida organizada, cantando e gritando até a voz sumir, ao lado de pessoas que estão ali pelo mesmo ideal, isso tudo faz o cansaço dos perrengues e noites sem dormir desaparecerem. 

+ Leia mais:  Vic Ferreira: Ainda somos vistas como um objeto para o prazer sexual masculino

Jogos, festas, shows ao lado dos seus amigos tornam o JUCA a época mais esperada do ano: pelo espírito esportivo, pelas companhias, pela loucura regada do open bar e por todos os perrengues necessários para aguentar firme e forte até o fim. Era isso que eu sempre ouvia sobre os jogos universitários, e que, agora, após realmente viver isso tudo, só tenho vontade que o próximo chegue logo."

+ Leia também:  Vic Ferreira: adeus, progressiva! É hora de voltar aos cabelos naturais

Maju faz parte da torcida
Arquivo pessoal
Maju faz parte da torcida

_______________________________________________________________________

Maju Arruda Leite
Arquivo pessoal
Maju Arruda Leite

Maju Arruda Leite tem 19 anos e está cursando o primeiro ano de jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Dentro da faculdade faz parte da torcida Aguante Rojo. Ela topou nos contar sobre a experiência de bixete no JUCA. 


    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.