Tamanho do texto

De acordo com a pesquisa, o aumento do parto cesariana entre os anos 1950 e 1960 contribuiu para o aumento da cabeça dos bebês. Saiba mais

Um novo estudo sugere que o aumento do número de cesárea está mudando tanto os bebês como a forma que as mulheres dão à luz. A pesquisa foi publicada na revista americana Pnas, da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos, descobriu que o aumento da cesariana a partir dos anos 1950 e 1960, aparentemente, levou os bebês a terem cabeças maiores. 

+ Quando é necessário fazer cesariana?

De acordo com estudo, os bebês estão com cabeças maiores por conta da cesárea
Thinkstock Photos
De acordo com estudo, os bebês estão com cabeças maiores por conta da cesárea

Por outro lado, o canal pélvico da mulher não está se adaptando ao aumento do tamanho da cabeça. O estudo aponta que a desproporção entre o tamanho do bebê e do canal pélvico feminino aumento entre 10% a 20% nos últimos anos, e isso pode ter relação com a necessidade de escolher a  cesárea  como método para o parto.

De acordo com Philipp Mitteroecker, biólogo da Universidade de Vieana e principal responsável pelo estudo, o uso regular de cesarianas se acentuou nas décadas de 1950 e 1960 em países industrializado e se disseminou pelo mundo. Consequentemente, os bebês passaram a nascer com cabeças maiores. 

+ Vídeo mostra novo método de parto: "cesariana natural"

"Não é fácil prever o que isso vai significar para o futuro dos seres humanos. A desproporção pode aumentar ainda, mas eu não acho que um dia todos os bebês precisarão nascer por cesariana",  disse Mitteroecker ao jornal britânico "The Independent".

Seleção natural

A cesariana contribuiu para o aumento na taxa de desproporção entre o tamanho do feto e o canal pélvico. Isso porque, ao reduzir a mortalidade materna e do bebê, o procedimento tem funcionado como fator de seleção natural das dimensões incompatíveis entre mãe e bebê. 

No artigo, Mitteroecker e sua equipe explicam que o trabalho de parto ideal ocorre quando há um bom encaixe entre o tamanho do bebê e a abertura pélvica da mulher. Assim, desde que a abertura pélvica suporte o tamanho do bebê, quanto maior ela for, mais eficaz é o parto.

No entanto, há um limite em que o parto natural torna-se impossível e aí entra a cesárea. Com a cirurgia, crianças maiores passaram a sobreviver, mesmo quando a mãe não tem a abertura ideal. 

+ 6 atitudes que ajudam a induzir o trabalho de parto



    Leia tudo sobre: gravidez
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.