Tamanho do texto

Especialista explica as transformações dessa fase e jovens relatam quais os medos e inseguranças que sentiram para chegar à adolescência

A adolescência não é um período fácil! Mas antes dessa fase da vida chegar, é preciso passar por um momento de transição e deixar de ser criança. Todo esse processo é conhecido como puberdade, aquela fase em que para algumas coisas você é já é “grande” e para outras ainda é “pequeno”. Está passando pode isso e tem a sensação de que ninguém te entende? Então não se preocupe, você não está sozinho.

Stephany conta como foi passar pela puberdade
Arquivo pessoal
Stephany conta como foi passar pela puberdade


Para começar, é preciso que tenha claro que essas mudanças biológicas não tem idade certa para acontecer , vai depender da pessoa. Normalmente a puberdade acontece entre 9 e 11 anos, mas em alguns casos pode começar mais cedo ou terminar mais tarde.

“Não existe uma regra para isso porque essas mudanças significam que o corpo infantil está se preparando para ser um corpo de homem ou de mulher, e cada corpo tem seu próprio ritmo”, afirma a psicanalista e autora do livro “Psicanálise de Transtornos Alimentares”, Cybelle Weinberg.

Nessa fase, os hormônios trabalham a todo vapor nessas mudanças para que o futuro adulto tenha uma vida sexual ativa e consiga se reproduzir. “Começam a aparecem os botões mamários nas meninas, os pelos pubianos em ambos os sexos, a voz do menino começa a engrossar e ocorre a primeira menstruação das meninas”, diz Cybelle.

Preocupação com a aparência

A transição não costuma ser fácil e a preocupação com aparência aumenta. “Eu me sentia estranha por meu rosto ter espinhas e, como meu corpo estava mudando, eu me sentia gorda e tinha vergonha”, conta a estudante Stephany Silveira Rodrigues, de 14 anos.

A psicanalista explica que essa dificuldade dos jovens em encarar as mudanças no corpo acontece porque há um enigma em saber como ele vai ficar, fazendo com que os adolescentes passem horas em frente ao espelho imaginando isso.

“O grande perigo é querer que o corpo siga um padrão de beleza muitas vezes irreal e impossível, como manda a moda, a internet e por aí vai. A busca por esse corpo ‘perfeito’ pode levar a transtornos e acarretar prejuízos enormes para a saúde física  e mental”, fala a Cybelle.

Acreditar nos sonhos nos mantém vivos! Veja dicas para realizá-los

Mudança de pensamento

Livia conta que teve medo das responsabilidades ao deixar de ser criança
Arquivo pessoal
Livia conta que teve medo das responsabilidades ao deixar de ser criança

Além do corpo, a personalidade e o pensamento também são modificados. “Eu tinha medo de ser rejeitada pelos colegas de classe. As opiniões das pessoas, quando eu era criança, não me importavam tanto. Já no começo da adolescência começaram a ter. Tudo que me falavam sobre roupa ou cabelo eu tentava mudar”, expõe Stephany.

A estudante completa, dizendo que o que a ajudou foi o apoio família que sempre aconselhou a jovem a não ligar para a opinião das pessoas.

Já a estudante Livia Ramos Silva, de 17 anos, afirma que não teve muito problema com a aparência, mas tinha dúvidas do que poderia ou não fazer. “Tinha insegurança em não saber lidar com as responsabilidades que estavam por vir, então tinha medo de assumir uma responsabilidade”, lembra Livia.

Que mico!

Por não ter claro na mente se você é criança ou adolescente, é comum sentir vergonha de muitas situações do cotidiano. “Minha mãe e meu pai tinham a mania de chamar minha atenção em algum lugar que estivesse alguém que eu conhecia, depois ficavam fazendo brincadeirinha de mau gosto e eu detestava”, exemplifica Stephany.

Entender que o filho está crescendo também é difícil para os pais, então é comum eles se tornarem os campeões em fazer você pagar mico.

Está grávida? Saiba como reagir e enfrentar essa situação de cabeça erguida

Fique esperto

A dica da especialista para tirar de letra todas essas transformações é levar uma vida saudável, praticar exercícios físicos, ter uma boa alimentação e valorizar aspectos da vida que não sejam apenas ligados à aparência.

“Nessa fase, é comum se sentir feio, desajeitado, inadequado e tímido, porém se esses sentimentos levarem a uma tristeza profunda e acabarem fazendo alguns jovens se isolarem dos amigos, a ajuda de um profissional é necessária”, alerta Cybelle.

A puberdade é uma fase que todo mundo passa, então nada de baixa autoestima! Permita que a adolescência chegue de forma segura e feliz.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.