Tamanho do texto

"Ela disse: 'se algo acontecer comigo, eu quero que você fique com minhas meninas', e eu instantaneamente disse que tudo bem", conta americana que já era mãe de duas garotas

Laura Ruffino adotou as quatro filhas de melhor amiga que morreu de câncer cerebral
Reprodução
Laura Ruffino adotou as quatro filhas de melhor amiga que morreu de câncer cerebral

A maior preocupação de Elizabeth Diamond após ser diagnosticada com câncer cerebral, em agosto de 2014, era o futuro de suas quatro filhas. Ela tinha medo do que poderia acontecer com as crianças depois que morresse. Por isso, Laura Ruffino, sua melhor amiga desde a 5ª série, prometeu que adotaria as meninas caso algo acontecesse. E ela cumpriu a promessa em abril deste ano, quando Diamond não resistiu à doença e morreu.

"Ela disse: 'se algo acontecer comigo, eu quero que você fique com minhas meninas', e eu instantaneamente disse que tudo bem", contou Laura.

Com a adoção, a família dela, que até então era o marido e as duas filhas, dobrou de tamanho, e a comunidade de Orchard Park, em Nova York, uniu-se para ajudar a angariar fundos. Eles lançaram uma campanha chamada YouCaring com o intuito de receber doações e colaborar com as desespesas da família, que aumentaram consideravelmente.

"Há dez anos eu não imaginava que essa seria a minha vida. Mas se algo acontecer com você, apenas aceite o desafio e faça o melhor que pode", aconselha a mãe. A campanha já arrecadou US$ 80 mil para a família.

VEJA TAMBÉM
Mãe com câncer terminal deixa cartas para a filha ler ao longo da vida
Pai se fantasia de Minion para levar o filho ao cinema
Bebê míope vê os pais pela primeira vez

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.