Tamanho do texto

Respeito e cumprimento das regras são essenciais para que o dia a dia não seja conflituoso

Ter uma babá para ajudar a cuidar dos filhos é uma necessidade para muitas mães, mas a relação com a profissional pode ser complicada. O contato intenso com os filhos dos chefes e a proximidade da rotina da família podem trazer à tona sentimentos e rancores mútuos.

Deveres e direitos de ambas as partes devem ser esclarecidos já na contratação da profissional
Thinkstock/Getty Images
Deveres e direitos de ambas as partes devem ser esclarecidos já na contratação da profissional

Para evitar transtornos na relação mãe-babá, os esforços devem começar já na contratação da profissional. Fernando Souza, diretor administrativo da agência Prendas Domésticas, afirma: “É necessário se certificar que a babá tenha as qualificações e competências necessárias para exercer a função que a contratante deseja”.

Ainda na contratação está uma das etapas mais importantes, segundo Renata Simonetti, consultora da agencia de babás Alô Babá. “As pessoas têm que ser bem claras ao estabelecer as regras da casa”. Ela reforça ainda que é fundamental que os pais criem uma rotina de atividades com horários de alimentação, banho entre outras tarefas para as babás seguirem.

Mas apenas instituir as regras não é o suficiente, é preciso respeitá-las. “O principal para a relação de trabalho ter sucesso é o que foi combinado na contratação ser mantido” defende Fernando. De ambos os lados, reforça.

Leia também:
Mãe x babá: qual a função de cada uma?
Saiba como contratar uma babá com segurança

Ele também diz que qualquer contratempo, como um dos pais precisar sair mais tarde do trabalho, ou outra mudança nas regras pré-estabelecidas devem ser avisados e explicados à babá. Ter consideração pela profissional e sua vida fora do trabalho também são pontos importantes para o bom relacionamento.

Pode ou não pode

Muitas vezes, os conflitos aparecem diante da determinação das tarefas que as babás devem ou podem exercer. Fernando esclarece: “A babá deve fazer todas as tarefas relacionadas à criança”. Ou seja, lavar as roupas da criança que cuida e fazer a comida dela, mas o cuidado com o resto da família não é uma obrigação dessa profissional.

Outra função que não pode se exigir da babá é a de educar a criança. “Quem dita as regras são o pai e a mãe. A baba faz só a manutenção do que foi determinado”.

Mas os problemas na relação entre mãe e babá não existem apenas com relação às tarefas. Uma questão importante é o relacionamento entre as partes. Por estar dentro de casa e muito próxima ao filho, acaba existindo a dúvida se o tratamento deve ser estritamente profissional ou se pode haver intimidade.

>> MAIS: Frases dos pais que acabam com a autoestima das crianças


“Os pais têm que construir uma relação íntima com a babá, para criar confiança”, sugere Renata. Mas ela lembra que não se pode confundir intimidade com total liberdade: “Deve-se sempre manter o respeito”.

Os conflitos podem ser mais frequentes no período de adaptação. Por mais que a profissional seja experiente, cada família tem um ritmo diferente com o qual a babá precisa se acostumar. A criança também precisa se adaptar com uma nova pessoa cuidando dela, e esta pode ser uma etapa complicada.

Fernando recomenda para as mães que têm mais de duas crianças, com idades muito distantes, que tenham duas babás. Além da quantidade de trabalho e atenção que se deve ter com tantas crianças, quando as idades não são próximas, as necessidades são diferentes. No caso de ter apenas uma babá, Renata recomenda que se deixe claro em quais atividades as crianças podem estar juntas e quais devem ser feitas separadamente.

Continue lendo:
Babá: vantagens e desvantagens
Com quem o bebê vai ficar?

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.