Tamanho do texto

Seja em férias de casal ou a trabalho, viajar sem as crianças pode representar uma angústia tanto para os pequenos quanto para os pais; veja dicas para deixar esse período mais tranquilo

O coração dos pais fica apertado só de pensar em ficar longe dos filhos, ainda que temporariamente. Mesmo assim, compromissos à distância são inevitáveis, bem como aquelas “mini-férias” para recarregar as baterias ou reviver o romantismo da relação. Depois de cuidar de todos os detalhes da viagem, é importante sentar com as crianças e explicar o que vai acontecer nos dias em que os pais estarão fora. Além disso, é uma boa ideia buscar maneiras de estar presente, mesmo que distante, no cotidiano dos pequenos.

Adultos precisam passar tranquilidade para as crianças e evitar momentos de angústia antes e durante a separação
Getty Images
Adultos precisam passar tranquilidade para as crianças e evitar momentos de angústia antes e durante a separação


O primeiro passo é cuidar para que esse período não se transforme em um verdadeiro pesadelo para as crianças. Por isso, mentir, esconder detalhes importantes sobre a viagem ou deixar para se explicar nos minutos que antecedem a separação são erros que devem ser evitados. Depois, é fundamental se certificar de que a criança ficará segura durante a ausência. Pais tranquilos conseguem acalmar os filhos, tornando a viagem menos dolorida para todos os envolvidos.

“A criança precisa de uma satisfação. Se você sai sem falar nada, ela fica com esse sentimento de rejeição. Nesse momento, é importante conversar e reforçar que a viagem é algo temporário, não definitivo, e que eles vão sentir muita saudade dos filhos. Amor e carinho nunca são demais na hora de dizer ‘tchau’. A criança fica desamparada e perdida, por isso os pais precisam fazer essa demonstração”, explica Helena Benedita Almeida, professora de didática da Universidade de Cuiabá.

>> MAIS: 26 atitudes que aproximam pais e filhos



Demonstrações de amor

Encontrar maneiras de acompanhar o dia a dia dos filhos e compartilhar histórias da viagem ajuda a amenizar a ausência e a saudade. A criatividade é quem manda. Dá para apostar nos meios mais tradicionais, como telefonar e mandar mensagens, fazer uma ligação via webcam, selecionar e enviar cartões postais pelo correio e muito mais. Para os pais que preferem algo mais elaborado, vale deixar uma cartinha para cada dia de ausência, bilhetinhos na agenda escolar da criança ou propor um desafio para ela, como uma caça ao tesouro.

Leia também: 
Carinho dos pais na infância molda o cérebro das crianças
Grandes amigos: fotos registram carinho entre irmãos

“Dá para deixar algumas atividades extras, como um passeio que as crianças gostariam de fazer ou mensagens secretas. Essas surpresinhas são legais porque encantam. Outra coisa é trazer uma lembrancinha da viagem, ou mandar pelo correio. Hoje, o mundo está tão tecnológico que não existe desculpa para sumir do mapa. Outra coisa é mandar fotos pelo telefone de onde os pais estão, porque os filhos conseguem acompanhar o que os adultos estão fazendo e se sentem parte da viagem”, sugere a coach Bibianna Teodori, autora do livro “Coaching para Pais e Mães – Saiba como fazer a diferença no desenvolvimento dos seus filhos”.

E se a criança chorar muito depois que conversar com os pais? De acordo com Bibianna, basta que os pais adotem um tom tranquilo e positivo durante as interações à distância. Se existe essa angústia na criança, é porque os próprios adultos não estão tranquilos com a separação, e acabam influenciando os filhos.

Rotina

Todas essas atitudes simples fazem com que os pequenos se sintam queridos pelos pais, mesmo que à distância. Também são maneiras de distrair as crianças e acostumá-las pouco a pouco à ausência dos pais. Mesmo que seja um pouco dolorido no começo, tanto para adultos como para crianças, é necessário respeitar a rotina estabelecida em casa. Ou seja, não é porque vocês vão viajar que a bagunça está completamente liberada.

Para os filhos, a rotina é ainda mais importante, porque é algo que traz segurança e estabilidade, indispensável em um momento frágil de separação dos pais. Portanto, eles precisam continuar frequentando a escola, acordando no mesmo horário e outros detalhes que podem parecer banais à primeira vista, mas precisam ser mantidos.

Continue lendo:
Infantolatria: as consequências de deixar a criança ser o centro da família
Frases dos pais que acabam com a autoestima das criança

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.