Tamanho do texto

Trabalhos manuais, como artesanato, ajudam a controlar ansiedade, dizem estudos; leitora do Delas sabe bem disso

Há tempos que o artesanato vai muito além de ser uma fonte de renda. Quem tricota, por exemplo, costuma se sentir extremamente recompensado - e não estamos falando apenas em recompensa financeira. 

+ Aprenda a fazer tricô e crochê

Aos 29 anos, Jéssica Scrivano já contabiliza seus lucros com o tricô , que pratica desde os 15 anos. Professora e tradutora de inglês, ela não vende nenhuma peça, mas reconhece os beneficios que alguns estudos confirmam: trabalhos manuais ajudam a controlar ansiedade e proporcionam um bem-estar enorme. 

Que tal já começar a fazer seu próprio cachecol para o inverno?
Ed Minuano/Reprodução


Uma pesquisa da Universidade da Columbia Britânica, no Canadá, de 2009, concluiu que atividades cognitivas, como tricotar, reduziram em 74% a intensidade de medos e pensamentos sobre o distúrbio alimentar em mulheres com anorexia.

Dois anos depois, o "Journal of Neuropsychiatry & Clinical Neurosciences" divulgou um estudo com idosos. O acompanhamento de mais de mil e trezentas pessoas de 70 a 89 anos mostra que praticar atividades manuais pode reduzir as chances de transtornos cognitivos leves e perda de memória. 

Teste agora: qual o seu grau de ansiedade?

"Pra mim, o 'fazer com as mãos' e o movimento por vezes repetitivo, mas que preciso prestar atenção para não errar, me ajudam a descompilar de um dia difícil e a desacelerar a mente quando estou muito ansiosa", explica.

De mãe para filha

"Não me lembro exatamente como me interessei, mas sempre gostei muito de artes manuais e minha mãe sempre tricotou coletes pra eu ir à escola no inverno", lembra Jéssica. "Pra mim, aprender foi um pouco difícil porque sou canhota e minha mãe não conseguia me ensinar ao contrário. Acabei aprendendo a tricotar como uma pessoa destra", diverte-se.

+  Passo a passo: borde borboletinhas na tolha do lavabo

Terapia

"Hoje em dia, tricoto mais por terapia do que por qualquer outra coisa. Não tenho pressa de ver nenhum trabalho pronto e, na verdade, tenho fases: passo meses sem nem pegar nas agulhas, depois, passo semanas tricotando", resume.

Ensinando as amigas

Quando falava para as minhas amigas que tricotava, a maioria achava 'super de velha', mas eu nem ligava. Aí, alguns anos atrás, alguma cantora assumiu que tricotava por terapia e várias amigas vieram me pedir para ensiná-las".


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.