Tamanho do texto

Pesquisa revela que 85% das estudantes brasileiras que já foram vítimas de violência de homens no ambiente universitário não sabiam

61% das estudantes que sofreram algum tipo de violência não contam sobre o ocorrido por medo de ser exposta ou julgada.
Getty Images
61% das estudantes que sofreram algum tipo de violência não contam sobre o ocorrido por medo de ser exposta ou julgada.

"Se todas as mulheres que já sofreram algum tipo de violência, por parte de homens, na universidade decidissem formar uma cidade, essa cidade teria uma população maior do que 95% das cidades brasileiras". A afirmação é de Renato Meirelles, presidente do Data Popular. Em conjuto com o Instituto Avon, o Data Popular realizou uma pesquisa com mais de 1800 estudantes do ensino superior sobre a violência a que as mulheres estão sujeitas no ambiente das universidades públicas e particulares. 

Para 27% dos estudantes universitários, abusar de uma garota quando ela está alcoolizada não é violência"

Os pesquisadores perguntaram às mulheres se elas já haviam sofrido algum tipo de violência por parte de homens na universidade e 10% afirmaram que sim. Mas quando foi especificado a elas quais eram os tipos de violência que poderiam sofrer, 67% admitiram que já haviam passado por algumas destas situações.

Veja os tipos de violência contra a mulher que existem nas universidades, listadas pelo estudo:




Os agressores
As mulheres muitas vezes não reconhecem que as situações enfrentadas cotidianamente são tipos de violência contra elas mesmas. E, pior, os homens desconhecem e ignoram muito mais. Para 27% dos estudantes universitários, abusar de uma garota quando ela está alcoolizada não é violência. E 31% não consideram um ato de violência contra as mulheres repassar fotos de colegas sem a autorização das mesmas.

Medo
Os altos números que depõem contra as mulheres nas universidades as fazem temer: 42% das estudantes entrevistadas já sentiram medo de sofrer violência na universidade, e 36% já deixaram até mesmo de fazer alguma atividade por causa disso. 

O medo também impede a reação das jovens. Apesar de 78% das mulheres que sofreram algumas destas violências terem contado a alguém sobre o ocorrido, a grande maioria revelou apenas para um amigo e somente 22% fizeram denúncia à instituição de ensino.

Silêncio

E por que não falar para ninguém? Mais da metade das que contaram não foi levada a séria, e 34% sofreram represália, foi hostilizada ou até isolada na universidade. Estes dados explicam o maior motivo do silêncio das que não contaram sobre a agressão nem mesmo para um amigo: 61% têm medo de ser exposta ou julgada.





    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.