Tamanho do texto

Britânica de 23 anos que passou adolescência escondendo marca relata o que mudou na sua vida depois que resolveu assumi-la

Lexxie disse que desde que decidiu exibir marca 'se sente orgulhosa e (ela) não me incomoda mais'
Arquivo pessoal
Lexxie disse que desde que decidiu exibir marca 'se sente orgulhosa e (ela) não me incomoda mais'

Alexandra Harford, de 23 anos, tem uma marca de nascença que cobre praticamente metade de seu rosto, e passou a adolescência escondendo-a com maquiagem.

Mas Lexxie, como é conhecida por amigos, resolveu deixar a vergonha de lado, e passou a exibir a marca publicamente. A jovem britânica publicou uma série de selfies na sua página na rede de imagens Imgur, e o número de acessos já havia passado de 100 mil apenas no primeiro dia.

"Quero que as pessoas que tenham este tipo de marca se sintam mais confortáveis", disse ela à BBC.

"Na minha adolescência, eu colocava maquiagem para cobrir a mancha, mas um dia decidi parar de fazer isso. Não sei por que, mas fiz. Desde então, me sinto orgulhosa e não me incomoda mais".

A jovem sofre de uma condição chamada de heterocromia, uma anomalia que, normalmente, afeta a íris dos olhos, mas que também pode modificar a cor do pelo ou da pele. Essa deficiência é rara em seres humanos, mas comum em cachorros, gatos e cavalos.

Ela ocorre quando uma pessoa ou animal tem muito ou pouca melanina no corpo. Pode ser hereditária, e também pode ser causada por uma doença ou lesão.

'Muito Feia Para o Amor?'

Jovem disse que, na adolescência, escondia mancha com maquiagem
Arquivo pessoal
Jovem disse que, na adolescência, escondia mancha com maquiagem

A jovem diz que as pessoas lhe fazem mais perguntas sobre a marca na internet do que pessoalmente. Segundo ela, a maioria das questões são se ela sofreu abusos ou se tinha sofrido maus tratos.

"As pessoas pensam que alguém me bateu ou que estou sendo maltratada por meu parceiro", disse ela, em entrevista à BBC Radio 5.

Lexxie diz que outras pessoas em situações semelhantes entraram em contato com ela, assim como mães de crianças que também têm marcas similares, "que querem garantir que seus filhos ganham confiança ao crescer".

Em entrevista ao site A Plus, a britânica declarou que durante sua infância foi obesa e que isso "sempre esteve mais presente na minha cabeça do que na marca de nascença".

"Adoro beleza e moda e conheço muita gente que sente que não pode explorar este tipo de coisas porque são diferentes".

Jovem sofre de condição chamada de heterocromia, uma anomalia que, normalmente, afeta a íris dos olhos
Arquivo pessoal
Jovem sofre de condição chamada de heterocromia, uma anomalia que, normalmente, afeta a íris dos olhos

A britânica disse ter recebido uma oferta para participar do documentário de TVToo Ugly For Love? ("Feio Demais Para o Amor?", em tradução literal), do canal americano TLX, sobre as dificuldades de pessoas com deficiências em encontrar parceiros. Ela também foi convidada para participar do programa The Undateables("Os Não-Namoráveis", em tradução literal), do britânico Channel 4.

Mas ela se negou a participar de ambos os programas, já que não se vê como "diferente" e se aceita "do jeito que é".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.