Tamanho do texto

Fase repleta de inseguranças, medos e tentativas de autoafirmação, a adolescência pode ser um pesadelo quando repetida num relacionamento a dois

Não se deixe enganar pela barba espessa, a voz grossa, a postura determinada de homem alfa: você pode estar diante de um adolescente tardio. Diferentemente daquele outro, o de espinhas no rosto, este homem corre o risco de nunca amadurecer e minar o relacionamento.

“Hoje em dia, a adolescência entrou com muita força na fase adulta”, explica Blenda de Oliveira, psicóloga especializada em terapia familiar e de casais. “Para crescer, é necessário sair da zona de conforto e enfrentar o mundo real da forma como ele é”, aconselha.

A fase da adolescência poder ser um pesadelo quando repetida na idade adulta pelo parceiro
Thinkstock/Getty Images
A fase da adolescência poder ser um pesadelo quando repetida na idade adulta pelo parceiro

Confira sete sinais de que seu parceiro não saiu da adolescência: 

1. Necessidade de autoafirmação constante

Em meio a muitas incertezas, é comum que o adolescente diga frases do tipo: “eu sou o melhor”, ou “pode deixar comigo que eu resolvo”. “Essa necessidade constante de se vangloriar demonstra alguém que na verdade é muito inseguro em relação a si mesmo”, explica Aurélio Melo, professor de psicologia da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

2. Falta de compromisso

Se o seu parceiro começa diversas atividades e não as termina, ou não consegue se estabilizar em nenhum emprego, pode ligar o sinal de alerta. "Alguns homens se comportam como se fossem eternos estudantes”, explica Blenda. "É muito importante que as pessoas aprendam a assumir compromissos. Isso é parte vital do processo de amadurecimento", continua.

3. Egocentrismo exacerbado

A adolescência costuma ser a fase do “eu”, quando nada mais importa além dos próprios dramas. Quando isso se repete na vida adulta, no entanto, os problemas são maiores. Principalmente no caso de um pai. “É comum ver pais que disputam atenção com os filhos. Isso desestabiliza o lar”, afirma Melo.

4. Vínculo extremo com os amigos

Na adolescência, os amigos formam praticamente uma segunda família. São as pessoas a quem recorremos quando precisamos de algo e sem os quais praticamente não temos vida social. Na vida adulta, no entanto, é necessário saber “se virar” longe deles. “É como se o homem mantivesse viva uma brincadeira infantil com os amigos, o que dificulta outros tipos de relação, como a amorosa, por exemplo”, compara a doutora.

5. Oscilações de humor

Bater as portas e gritar pela casa em meio a uma discussão é até aceitável no caso de um adolescente, já ao se tratar de um adulto, não. “Homens que vive se exacerbando em meio a discussões se tornam agressivos, o que pode ser perigoso para os familiares”, alerta o professor.

6. Dependência prolongada em relação aos pais

A independência é uma das principais características da vida adulta. “Depender dos pais depois de certa idade, tanto financeiramente quanto em relação a opiniões, é um sinal de imaturidade”, explica a psicóloga. Segundo ela, a relação estabelecida deve ser de carinho e cuidado, mas não de dependência.

7. Excesso de vaidade

Preocupação com a própria aparência é uma qualidade, desde que não se torne uma obsessão. “O excesso de cuidado com si mesmo mostra uma autoestima construída através das avaliações dos outros”, diz Blenda. “São homens que não se bastam em si mesmos.”